[Blu-ray] PEGASUS BOX e DRAGON BOX

Os Cavaleiros do Zodíaco é o meu anime preferido da vida ♥. Se eu fosse listar, Saint Seiya estaria no topo. Só para vocês terem uma ideia, o anime nunca perdeu o brilho para mim, por isso já perdi as contas de quantas vezes o re-assisti (^_^).

Então desde o lançamento da série em Blu-ray no Japão, eu estava aguardando a vinda da versão remasterizada para o Brasil. Bem, era somente questão de tempo, pois Saint Seiya é extremamente querido e rentável por aqui. Mesmo aqueles que não acompanham anime sabem o que é Os Cavaleiros do Zodíaco.

Depois de alguns anos o lançamento aconteceu \o/. Dos cincos boxes anunciados (Pegasus Box, Dragon Box, Cygnus Box, Andromeda Box e Phoenix Box), dois já foram lançados na versão Blu-ray (*pela primeira vez*) e DVD pela distribuidora PlayArte. O lançamento do Pegasus Box aconteceu em novembro de 2017 e o Dragon Box em março deste ano. Esperei para comprar os boxes em alguma promoção e adquiri os dois na versão Blu-ray recentemente (^o^v).

Vou compartilhar informações e minhas impressões acerca da edição nacional do Blu-ray do Pegasus Box (contendo três discos – Episódios 01 a 24) e do Dragon Box (contendo três discos – Episódios 25 a 48).

» Design: os discos estão armazenados em digipack e luva. Mesmo dando um ar bonito ao produto, particularmente detesto edições em digipack por sua fragilidade. Quanto à arte, a imagem do Seiya e do Shiryu estampada na luva, produzida pela própria Toei Animation para o lançamento no Brasil, são malfeitas. Convenhamos que os rostos e as poses ficaram bem estranhos. O coitado do Seiya parece que travou a coluna e ficou na posição a lá Mestre Kami (O_o). Já o digipack apresenta visual limpo, do qual achei agradável, porém ainda deixando a desejar no quesito de sofisticação. Bem, nota-se que o design não é o forte da edição nacional.

» Livreto: achei o livreto, que contém oito páginas cada, um item complementar muito legal. As informações incluem Guia de Episódios e de Personagens. São dados bastante conhecidos, mas incluir a data de estreia de cada episódio no Brasil foi bacana. O que deixa a desejar são novamente o design e algum erro de digitação. Como por exemplo, na descrição de Seiya de Pégaso: “(…) com seu professor Marin”. (O_o) O correto é que Seiya foi treinado por uma amazona. Poderiam também ter melhorado um pouco a descrição do Cavaleiro de Gêmeos.

» Tela do Menu: achei o design da tela do menu simpático, mas poderiam ter colocado uma fonte mais estilizada. Em cada disco há uma imagem estática diferente do personagem tema e ao lado trechos da abertura e algumas cenas aleatórias dos episódios ficam passando ao som da versão em português de Pegasus Fantasy (*acho feia a voz desse cantor*). Sobre tudo isso há uma película com textura do cosmo em tom avermelhada na Pegasus Box e esverdeada na Dragon Box.

» Formato da Tela: seguindo o padrão do Blu-ray japonês, o formato da tela da edição nacional é 4:3. Como o anime foi produzido nos anos 80 neste formato, acredito que a Toei Animation decidiu manter o padrão original para não mutilar a imagem (*caso seja isso, achei uma escolha sábia*).

» Áudio e Legenda: contém áudio Dolby Digital 2.0 em japonês / português e legenda em português. O áudio em português trás a redublagem do Estúdio Álamo de 2003, que corrigiu falhas como: armadura de ouro de Pégaso, cavaleiro Jabu de Capricórnio, etc.; e, além disso, é uma excelente dublagem. Bem, o trabalho de dublagem japonesa é impecável e a brasileira não fica atrás. Uma coisa esquisita é que a legenda não pode ser desativada quando o áudio está no original (*me pergunto se a Toei tem receio que os japoneses importem do Brasil pelo custo da versão nacional, para o padrão japonês, ser mais em conta*). Falando ainda da legenda, achei esquisito algumas partes: o personagem fala o nome de outro personagem, uma palavra ou curta afirmação e daí colocam uma frase qualquer que não foi dita (O_o).

» Qualidade de imagem e som: por ter sido remasterizado a imagem e som ganharam tratamento mais nítido. Como não tenho a edição japonesa para comparar, não sei se está igual. Enfim, a imagem me parece excelente. Quanto ao áudio, tanto em japonês como em português, também está limpo e bastante potente. Adorei o resultado (*-*). Ah, as cenas dos títulos de cada episódio permaneceram como a versão original (*graças a Zeus*). Comento isso, pois na versão em DVD de 2004 a Toei impôs um design padrão horroroso como substituto.

» Extras: em ambos os boxes, os extras estão presentes no ultimo disco. Quanto ao conteúdo é a mesma coisa nos dois: eye catchs, título dos episódios em português (*que diabo é isso?*), vídeo da abertura nacionalizado e vídeo de encerramento nacionalizado. Os dois últimos extras se repetem em ambos os boxes, o que é desnecessário. Espero que nos demais boxes incluam outros extras. Como extras exclusivos para o material nacional, poderiam incluir entrevistas (antigas e novas) com os dubladores e também fazer uma homenagem aos dubladores que já faleceram. Acredito que seriam extras muito legais. Enfim, fica minha sugestão.

No geral, achei o trabalho de design da versão em Blu-ray nacional bastante capenga. Sinceramente, para lançamento no Brasil a Toei aprovou um trabalho feito de qualquer jeito. Poderia também ter deixado mais elegante e diferente a versão em Blu-ray da versão em DVD, afinal pela primeira vez o anime chega com qualidade por aqui. Entretanto mesmo com esse visual deixando a desejar, é um artigo que vale muito a aquisição (com um bom desconto) pela qualidade remasterizada de imagem e som (^_~).

Mais uma versão para minha coleção repeteco de Saint Seiya (>_<), mas muito amorzinho (^_~♥). Ansiosa pelo Cygnus Box, que trará o melhor personagem (*-*).

Anúncios

Presentes de Natal 2017 + Aniversário + Apreciando um Carinho

Com atraso, finalmente chegou à postagem natalina (^_^). Como foi o natal de vocês? Por aqui foi tranquilo. Nós nos reunimos na casa dos meus pais e o destaque da noite sem dúvida foi à ceia deliciosa preparada por minha mãe (*¬*). Sim, nessas comemorações eu só penso em comida, hahaha. Enfim, agora o momento de compartilhar os presentes literários; incluindo presentes de aniversário e de amizade (o tal “Apreciando um Carinho”). Siga-me os bons!

De moi: Me presentei neste natal com o livro Crônica do Pássaro de Corda, do Haruki Murakami. O exemplar estava com um bom desconto na livraria, então tive que levar. Estou bastante curiosa quanto à narrativa, pois esse romance demorou mais de uma década para chegar ao nosso país.

Do T. (marido): Meu honorável marido me presentou com livros da minha escolha: O Iluminado (Stephen King), Negociando com os Mortos (Margaret Atwood), Uma Noite na Praia (Elena Ferrante) e Frantumaglia (também da Elena Ferrante). Preciso dizer que amei tudo?! (*-*) Muito obrigada, meu amor! Te amo!

Dos meus pais: Ganhei aquele papel de valor, então adquiri o clássico A Pequena Dorrit, do autor britânico Charles Dickens. Se não estou enganada, esta é a primeira vez que a obra é publicada integralmente no Brasil. A Pequena Dorrit só apareceu por aqui com o texto adaptado. Estava doida por esse romance de mais de 770 páginas. Finalmente na estante (^_^). Muito obrigada, mãe e pai.

Do V.: Ganhei do meu amigo V. o romance O Homem sem Doença, do holandês Arnon Grunberg. Gostei muito de Tirza, então espero que essa obra me agrade também. Ah, esse presente na verdade é de aniversário; o V. só pode me entregar agora. Muito obrigada pela lembrança do dia de meu nascimento!

Da Michelle: A Mi me mandou uma caixa cheia de amorzinho simbolizando nossa amizade (^_^). Ganhei o livro Relatos de um Gato Viajante (Hiro Arikawa), uma garrafa do Totoro, fofinhas flags ilustradas de gatinhos e um caderninho com capa de gatinhos. Para completar, ela ainda me mandou a edição de 1997 do romance Vulgo, Grace, com tradução de Maria J. Silveira, com intuito de incrementar minha coleção dos livros da Margaret Atwood. Adorei tudo! Ah, e a Artemísia amou o papel que embrulhou a caixa, hahaha.

Da Maura: O pacote que eu aguardava finalmente chegou. Maurinha me presenteou com os livros: Ela tem olhos de céu (Socorro Acioli), O Papel de Parede Amarelo (Charlotte Perkins Gilman), História Universal da Infâmia (Jorge Luis Borges) e As Avós (Doris Lessing). Se não bastante tanto carinho, veio diversos marcadores, flags fofinhas de matrioska e flags coloridas. Senhorita Artemísia também quis brincar com o papel que embrulhou a caixa, hahaha. Muito obrigada!

Da R. e do R.: Meus amigos foram para Comic Con Experience 2017 e trouxeram vários mimos para mim. Ganhei o par de pôsteres dos 12 Cavaleiros de Ouro ilustrado pelo Felipe Massafera. Ah, ambos os pôsteres estão autografados (*que chique*). Amo Saint Seiya! Então foi certeiro. Uma boneca genérica da marca japonesa Daiso chamada Eri-chan e sua roupinha de colegial (*achei uma gracinha*). Por fim, um pacote do Biscoito Koala sabor morango (*meu preferido*) do qual já devorei, hahaha. Muito obrigada, R. e R.!

Feliz Natal! Feliz Comilança! (atrasado) (・ε ・)ノ

[Completo ~ Kanzenban (FR)] Saint Seiya, de Masami Kurumada

No primeiro semestre deste ano completei (finalmente) a kanzenban francesa de Saint Seiya (Les Chevalier du Zodiaque), de Masami Kurumada. Fiquei muito feliz quando adquiri os últimos volumes (^o^v).

Para quem não sabe, kanzenban é uma edição definitiva de luxo, com material e acabamento de qualidade, tendo o conteúdo tratado (com retoque de arte, por exemplo) e anexado alguns extras. Somente títulos famosos (ou seja, rentáveis) ganham essa edição caprichada no Japão.

Em 2011 a Editora Kana iniciou a publicação da kanzenban de Saint Seiya na França. Acredito que tenha sido o primeiro país estrangeiro a publicar nesse formato especial. O trabalho gráfico da edição francesa é idêntico ao da japonesa. Comecei a importar na época do lançamento, mas nos finalmente, devido a outros gastos de maior emergência, conclui a coleção somente no inicio deste ano; sendo que ela foi concluída em meados de 2015. Felizmente deu tudo certo (^_^).

Para comemorar, afinal foram 22 volumes adquiridos, compartilho a abertura lindinha do jogo Os Cavaleiros do Zodíaco: Bravos Soldados, que resume a obra de Kurumada:

[Comentário OFF: acho essa abertura do jogo empolgante! Os animadores conseguem simular bem o traço do Shingo Araki e da Michi Himeno. Entretanto, o traço do trecho da Saga de Hades lembra bastante o do anime das fases Inferno e Elíseos. Ou seja, os animadores são bons em copiar, mas não conseguiram replicar o traço elegante de Araki e Himeno na ultima fase.]

Desde novembro do ano passado, a Editora JBC iniciou a publicação da kanzenban de Os Cavaleiros do Zodíaco no Brasil. Porém o formato daqui difere da edição original. A edição nacional ganhou capa dura e papel lux cream. Inicialmente eu achei que o trabalho gráfico deixou um pouco a desejar. Acredito que pela qualidade duvidosa do papel e o preço elevado. (…) Entretanto, atualmente estou achando a edição mais bonitinha e pensando seriamente em colecionar (>_<).

Enfim… Muito feliz de completar a kanzenban francesa de Saint Seiya (^_^v). Um dos meus mangás do coração ♥ ♥ ♥ ♥ ♥.

Dakishimeta kokoro no kosumo (\^o^/♫).