Livro: O Reflexo Perdido e Outros Contos Insensatos – E. T. A. Hoffmann

Esta coletânea de contos de Ernst Theodor Amadeus Wilhelm Hoffmann (1776–1822), intitulada O Reflexo Perdido e Outros Contos Insensatos, teve tradução, organização e notas de Maria Aparecida Barbosa. Aparecida selecionou algumas narrativas de três coletâneas originais de contos do autor alemão para produzir a edição nacional.

O livro começa com um prefácio que ambienta o leitor ao estilo de um dos grandes nomes do romantismo alemão e dando informações acerca das narrativas apresentadas na edição. Seguimos então para os contos divididos por um conjunto das seguintes coletâneas: Quadros Fantásticos à Maneira de Callot (Fantasiestücke in Callot’s Manier), Contos Noturnos (Nachtstücke) e Os Irmãos Serapião (Die Serapionsbrüder).

Na primeira parte, da coletânea Quadros Fantásticos à Maneira de Callot, publicada originalmente em 1814, apresenta os contos Jacques Callot, Cavaleiro Gluck – Uma lembrança do ano de 1809, Kreisleriana e O Reflexo Perdido ou As Aventuras da noite de São Silvestre. Seguindo pela coletânea Contos Noturnos, pulicada originalmente em 1817, apresenta unicamente o conto O Homem-Areia. E por fim, na coletânea Os Irmãos Serapião, pulicada originalmente em 1819, apresenta os contos O Anacoreta Serapião, As Minas de Falun, O Conselheiro Krespel ou O Violino de Cremona e O Quebra-Nozes e o Rei dos Camundongos.

Todos os contos desta edição apresentam enredos comuns, mas que contêm na sua confecção inúmeras referências de figuras reais e de teor filosófico envolvendo temas fantásticos que se confundem entre a realidade e a ficção. No caso as várias notas de rodapé, espalhadas na edição, ajudam a nos ambientarmos nessas alusões, contribuindo principalmente para aqueles que não têm tanta intimidade com a literatura alemã, como é o meu caso (*adoro edições com (muitas) notas de rodapé ♥*).

Além de escritor, Hoffmann tinha interesse pela música e pintura. Ou seja, ele também compunha e desenhava. O seu amor pela música clássica e pelo famoso compositor e pianista austríaco Wolfgang Amadeus Mozart, fez Hoffmann incorporar Amadeus ao seu nome de batismo. Por isso em praticamente todos os contos dessa coletânea incluem a música como tema principal ou como um elemento.

Para quem leu Reflexões do Gato Murr (1822), vai notar pelo título que o protagonista Johannes Kreisler está presente no conto Kreisleriana. Na verdade esta foi à primeira aparição do personagem compositor, já que o conto data de 1813.

Ilustração do conto O Homem-Areia (Der Sandmann) presente na primeira edição alemã, desenhada pelo próprio E. T. A. Hoffmann.

Nos contos com uma atmosfera de terror fantástico, Hoffmann começa suas narrativas com um ambiente agradável, que mesmo com os percalços trás certa esperança. No entanto à medida que somos conduzidos, o cenário se transforma em um tom macabro, permitindo que as neuroses façam parte da condição e fim dessas personagens.

Apesar de apresentar um lirismo, os contos do autor alemão exibem tons escuros e uma atmosfera sinistra em meio aos vícios e tormentos da alma humana, fazendo com que nós leitores acreditemos que os olhos brilhantes do demônio estão à espreita em cada ação de nosso cotidiano. A loucura também é um tema recorrente. Já em outras narrativas, lembram as tragédias gregas com suas premonições mortais.

Acredito que a única narrativa que destoa do ambiente sombrio e sem esperança, é o conto infantil O Quebra-Nozes e o Rei dos Camundongos. História conhecida por aqueles que na infância assistiram alguma adaptação animada na época do Natal (*eu o/*). E principalmente por ter dado origem a um dos mais famosos balés, composto em 1891 pelo russo Piotr Ilitch Tchaikovsky, chamado O Quebra-Nozes. O conto é uma graça e foi maravilhoso conhecer a narrativa original, pois eu tenho um carinho por essa história (^_^).

Meus contos preferidos de toda a coletânea foram O Reflexo Perdido ou As Aventuras da noite de São Silvestre e O Homem-Areia. Eu gostei demais da construção da narrativa e de como eles brincam com nossa percepção dos fatos. Essas duas histórias me surpreenderam pela sua densidade e estrutura forte e de sua contínua ambiguidade da relação com a realidade. Por outro lado, como em livros de contos há normalmente uma flutuação entre eles, para mim a narrativa menos interessante foi O Conselheiro Krespel ou O Violino de Cremona. As detestáveis personagens estragam o bom clima da narrativa.

Quanto à escrita de E. T. A. Hoffmann, é um estilo alucinatório. O escritor cria efeitos que lembram histórias populares que nos fascinam, mas ao mesmo tempo instiga com seus paradoxos e simbolismos. Talvez minha percepção repassada nesta impressão faça parece que a escrita do autor é confusa. Nada disso. É um estilo que brinca com a imaginação, que burla nossa percepção em separar o pesadelo da realidade; já que os dois cenários tanto se assemelham. Também há um sarcasmo refinado e frases para a vida. Tipo esta, ideal para se livrar com educação de alguém inconveniente: “Tenha a bondade de ir para o diabo que o carregue!” (p. 51). Grosseiro, mas com finesa, hahaha.

O Reflexo Perdido e Outros Contos Insensatos, de E. T. A. Hoffmann, trás uma deliciosa mistura de estranhezas curiosas. Além disso, a seleção feita por Maria Aparecida Barbosa apresenta ao leitor brasileiro os vários lados desse renomado autor alemão do romantismo.

.

Título: O Reflexo Perdido e Outros Contos Insensatos
Título original: Fantasiestücke in Callot’s Manier, Nachtstücke, Die Serapionsbrüder
Autor: E. T. A. Hoffmann
Tradução: Maria Aparecida Barbosa
Editora: Estação Liberdade
Páginas: 264
Ano: 2017

❖❖❖

Recebi este livro como cortesia da Editora Estação Liberdade.

[Cortesia] Editora Estação Liberdade ~ O Reflexo Perdido e Outros Contos Insensatos

A Editora Estação Liberdade trouxe uma novidade sensacional da literatura alemã para seu catálogo neste mês de abril, um livro de contos do Ernst Theodor Amadeus Wilhelm Hoffmann. Ou simplesmente E. T. A. Hoffmann. A obra foi traduzida, organizada, prefaciada e anotada por Maria Aparecida Barbosa, a mesma tradutora de Reflexões do Gato Murr (*esse romance está na minha lista de desejados há séculos e eu não compro (>_<). Certeza que a Artemísia está ofendida, hahaha*).

Antes mesmo de conhecer o autor, na minha infância, acredito que de qualquer criança da minha idade, tenha assistido uma adaptação em desenho animado de seu conto O Quebra-Nozes e o Rei dos Camundongos. Lembro que o desenho era feioso, mas eu adorava a história. Também vi na internet uma adaptação em balé (*-*). Para minha surpresa, o conto está presente nessa edição. Finalmente lerei o original (^_^).

Quanto aos outros contos, estou bastante curiosa, pois Hoffmann tornou-se um dos principais expoentes do Romantismo alemão por apresentar em suas obras um teor filosófico que envolve temas fantásticos e de horror e da difusão entre realidade e ficção. Ou seja, um autor peculiar da literatura fantástica. Estou bastante animada!

Agradeço a editora pelo envio do livro. O Reflexo Perdido e Outros Contos Insensatos (*adorei o título*) será minha próxima leitura. Então, por favor, aguardem minhas impressões (^_~).

❖❖❖

O blog Lulunettes recebeu o lançamento O Reflexo Perdido e Outros Contos Insensatos, de E. T. A. Hoffmann, de cortesia da Editora Estação Liberdade. Agradeço a confiança neste modesto espaço (^_^).