Impressões de Berserk (2017)

Ano passado compartilhei com vocês minhas primeiras impressões do novo anime Berserk, incluindo também um panorama da minha relação com a obra e das animações anteriores.

Quem acompanhou a primeira parte do novo anime, ou seja, os doze primeiros episódios lançados no Japão entre 1º de julho a 16 de setembro de 2016, notou que o Arco da Convicção foi reduzido. Este arco do Guts em busca da Casca com o medonho inquisidor Mozgus e seu grupo de torturadores da Ordem Religiosa da Santa Fé como antagonistas, é um dos momentos mais angustiantes e de teor violento do mangá. Mesmo bastante resumido, perdendo partes bacanas da trama e tendo como consequência alguns momentos apressados, no geral não achei o resultado tão desastroso e acredito que os produtores conseguiram repassar os elementos mais importantes.

Então seguimos para os doze episódios seguintes, que foram lançados no Japão entre 7 de abril e 23 de junho de 2017, e inicia o longo Arco do Império Milenar do Falcão. A continuação do anime apresenta inicialmente o breve reencontro de Guts com Griffith renascido; a aparição dos apóstolos comandados por Griffith em seu Novo Bando do Falcão; a formação do novo grupo de Guts, com Ishidoro, Farnese, Serpico e posteriormente com a bruxa Schierke; Guts vestindo a armadura amaldiçoada Berserker; e finaliza com uma ponta para a próxima temporada.

Irvine, apóstolo.

Conclui o anime na semana retrasada e estou com aquele vazio de uma obra tão boa não estar mais presente na minha vida. Sim, é nesse nível de exagero, hahahahaha.

Como a metade anterior houve uma redução significativa da trama mostrando apenas os pontos chaves, achei que os episódios iniciais do Arco do Império Milenar do Falcão foram melhores trabalhados. Mesmo cortando alguns momentos, você sente que a história flui com mais naturalidade. Por isso foi incrível acompanhar a continuação ♥.

E quando Guts finalmente veste a Berserker meu coração acelerou (*0*). A música Ash Crow, do compositor Susumu Hirasawa, tornou o clima desse momento tão aguardado um misto de sensações ao telespectador e de uma esperança duvidosa para Guts que poderá ter seu espírito dominado pela armadura.

Momento épico de Guts vestindo a armadura Berserker (legendado em português pela equipe do Saikô Animes):

Ai meu corassaum!!! (((o(*゚▽゚*)o)))

Esperava ver um dia este momento animado. Estou suspirando até agora ♥. Acho que já revi o 9º episódio (ou 21º episódio) umas dezenas vezes (^o^ ~ hahahaha).

Quanto à animação em CG (Computação Gráfica), mesmo achando desengonçada, consegui aproveitar bastante esses episódios. Acredito que tenha me acostumado. Porém cooperou o fato da sequência estar bem melhor trabalhada que os episódios do ano passado, causando aquela boa expectativa ao apertar o play (^_^).

Depois de concluir o anime, eu fiquei com vontade de reler o mangá. Acompanhando a obra de Kentaro Miura desde sua primeira publicação no Brasil, aquela edição (fuleragem) meio-tankōbon. Se não me engano é o título que acompanho há mais tempo. Atualmente estou adquirindo as nova edição tankōbon da editora Panini. Enfim, não sei se virei comentar alguma coisa sem pretensão por aqui. O tempo anda tão escasso, mas quem sabe aparece alguma coisa. Só não prometo (>_<).

No mais, aguardo com ansiedade a sequência (^-^/).

Anúncios

Primeiras impressões: Berserk 2016

Berserk 2016_01Vim compartilhar minhas primeiras impressões do anime: Berserk 2016. O título começou a ser lançado em 1ª de julho e terá um total de 24 episódios. Eu assisti aos seis primeiros episódios. Então tenho mais que uma primeira impressão formada. Vamos lá!

O mangá Berserk, de Kentaro Miura, ganha sua terceira adaptação em anime. A primeira data de 1997 e é excelente! Recomendadíssimo! 15 anos depois, uma trilogia de filmes foi lançada entre 2012 e 2013, combinando animação 2D e CG (Computação Gráfica). Ambas as animações cobrem a origem de Guts, sua entrada no Bando do Falcão, a ascensão e decadência do bando até o sacrifício. A nova animação, tendo como supervisor executivo o próprio mangaká, estreou no comecinho do mês julho deste ano. Eu estava muito ansiosa! Berserk é um dos meus mangás favoritos e eu praticamente acompanho tudo. Lembro que até assisti ao jogo do PS2, todo em japonês, porque queria ver a narrativa pós-sacrifício animada.

Berserk: Millennium Falcon Hen Seima Senki no Shō (Abertura – Jogo PS2):

Eu senti um sentimento duplo em relação a este anime de Berserk. Gostei que finalmente de estarem abordando os arcos após Era de Ouro, já tão mostrada nas duas animações anteriores. Não me incomodou a liberdade que os produtores tomaram acelerando alguns eventos. Logo de cara aparece o Ishidoro, Azan, Farnese e Serpico. No 4ª episódio iniciou o arco que eu mais curto do mangá, pois tem todo um aspecto da Idade das Trevas e seus falsos religiosos.

Berserk 2016_02

O grande pecado da animação deste anime é o CG, produzida pelos estúdios GEMBA, Millepensee e com cooperação do Liden Films. Particularmente não curto. Acho estranho e sem um pingo de movimento, mesmo nos mais bem produzidos. O design e a movimentação em Berserk estão horríveis. As personagens quando se movem parecem ventríloquos desengonçados e suas faces estão completamente inexpressivas. Você acaba não sentindo aquele impacto da narrativa, pois o visual, que deveria acompanhar o peso da história, acaba perdendo a sensação de incomodo que sentimos ao ler o mangá. Por outro lado no mangá, você sente a repulsa de qualquer monstro / inimigo que o Espadachim Negro enfrenta, das histórias grotescas e cheias de sofrimento de seus personagens principais e coadjuvantes. No anime não. Os poucos caractere design bonitos são os que aparecem esporadicamente em 2D. Poderiam ter mantido a animação da abertura, que ficou maravilhosa.

Falando em abertura, achei interessante como foi pensada. Ela resume com maestria a Era de Ouro e indicando também os novos desafios de Guts. Achei muito criativa!

Mesmo com o estilo da animação me incomodando bastante, não vou deixar de acompanhar o anime, porque a ótima narrativa é o elemento que me fará continuar a assistir os planejados 24 episódios desta nova animação, que poderia ter ganhado um trabalho melhor na animação; e vemos pela abertura que era possível.

Eu sei que a indústria de animação japonesa está em crise, mas Berserk é um título famoso que está há 27 anos no mercado, pois Kentaro Miura ainda não concluiu o mangá. Pensei que por ser bastante conhecido e querido, o estúdio fosse produzir uma animação condizente com seu sucesso e não essa porcaria. Animes tão populares, e outros nem tanto, ganham animações mais dignas. Então acho que a crise neste caso não seria uma desculpa, e sim que pelos produtores acreditarem que o título se sustenta mesmo com uma animação decadente. Com certeza eles estão certos.

O que poderia ter sido O ANIME de Berserk, acabou tornando-se uma decepção para quem ansiava há tantos anos assistir a narrativa pós Era de Ouro (Ç_Ç).