Presentes de aniversário | 2017

Hoje tragos os maravilhosos presentes literários e alguma coisa aleatória que ganhei de aniversário. Gostaria de agradecer de coração pelas mensagens, abraços, comemorações e presentes (^_^).

Do Marido:

Ganhei o livro Senhorita Mackenzie, de Anthony Trollope. No entanto, como meu marido gosta de fazer surpresa, ele me presenteou com um jogo de tabuleiro chamado Hanamikoji. Eu não tenho paciência para jogos de tabuleiros, mas este por ser rápido e dinâmico é divertido. Ah, e as ilustrações das cartas são lindas (*-*). Obrigada, honorável marido!

Da R. e do R.:

Ganhei o livro Ouça a canção do vento & Pinball 1973, de Haruki Murakami, que estou doida para ler. Murakami sempre me encanta com suas narrativas normalmente bizarras. E uma figure kawaii da My Melody, uma personagem do universo da Sanrio (o mesmo da Hello Kitty), da linha Figuarts ZERO, da Bandai. Obrigada, R. e R.!

Da Lígia:

Ganhei os livros Os da minha rua, do escritor angolano Ondjaki, e O Boxeador Polaco, do escritor guatemalteco Eduardo Halfon. Tenho curiosidade com esses autores, mas sempre acabo tendo outras preferências de aquisições e leituras. Agora tenho a chance! E como mimo, um fofinho caderno de gatinho (*-*). Estou pensando em usá-lo como álbum de fotos da minha gatinha (*ela é tão fotogênica*). Acho que vai ficar legal. Obrigada, Lígia!

Da Lua:

Ganhei o livro O Céu de Lima, do espanhol Juan Gómez Bárcena. Eu só tinha ouvido falar de nome desse romance, mas não fazia ideia do que se tratava. Depois de ler a sinopse fiquei interessada e parece que vou me divertir com as presepadas dos dois protagonistas. Obrigada, Lua!

De moi:

Me presentei com dois romances, a edição de 50 anos de Cem Anos de Solidão, do Gabriel García Márquez, e A Senhora de Wildfell Hall, de Anne Brontë. Consegui essa edição comemorativa de Cem Anos de Solidão por um preço muito bom. Quanto ao romance de Anne Brontë, eu tenho a edição da Pedrazul, mas como estou amando as irmãs Brontë, acabei comprando outra edição (*quem nunca?*).

Adorei tudo! (*o*)

Anúncios

[Chegou] Anne de Avonlea, de Lucy Maud Montgomery ♥

Para quem acompanha o blog ou me conhece pessoalmente sabe que Anne de Green Gables é um dos meus livros preferidos da vida! (*-*) Eu amo cada pedacinho desse romance escrito pela canadense L. M. Montgomery. E sempre, sempre encho o saco indico aos amiguinhos.

Há anos que aguardo a publicação da continuação em português. Cogitei importar os livros em francês, mas como já importo mangás, ficaria muito pesado financeiramente. Enfim, eu fiquei na esperança e desesperança neste longo tempo, quando: 1º) A Editora Martins Fontes se esqueceu da obra (Ç_Ç); e 2º) A Editora Pedrazul estava deveras indecisa em publicar a continuação das peripécias de Anne Shirley. Eu ia atualizando essa publicação do vai e não vai da Pedrazul… Até que decidiram (finalmente!) publicar Anne de Avonlea (\*-*/).

Como a Netflix lançou recentemente o seriado adaptado do primeiro livro, sem sombra de dúvida esse grande detalhe influenciou a Editora Pedrazul de seguir com a publicação da continuação da série de Montgomery. Uma boa jogada de marketing. Afinal, editoras são empresas e empresas visam lucro.

Minha reação ao ver o exemplar de Anne de Avonlea

Fiz a pré-venda de Anne de Avonlea e o livro chegou recentemente (*pensem na empolgação ao abrir o pacote e segurar a edição*). Sim, fiquei muito felizona (♥^o^♥). Será minha próxima leitura e estou animadíssima (“\^0^/”). Gostaria de me trancar no quarto e só ficar lendo, hahahaha. Bem, acho que vou fazer isso no final de semana. Mas, a gata não gosta de porta fechada (>_<).

Torço para que os livros (a segunda edição de Anne de Green Gables e o lançamento Anne de Avonlea) tenham uma boa venda, e que a série faça sucesso (*ainda não assisti por causa do trailer. Achei sombrio demais e isso me deixou com receio*), porque assim os restantes dos romances da série terão maiores chances de serem publicados no Brasil. E quem sabe outras obras da Lucy Maud Montgomery?! Seria maravilhoso!

Ansiosa para reencontrar Anne Shirley, pronunciando claramente a letra “E” de Anne (^-^).

{Apreciando um carinho} A Elegância do Ouriço e Caneta Japonesinha

Hoje trago mais um {Apreciando um carinho} cheio de amorzinho ♥. Bem, convenhamos que é sempre cheio de amorzinho receber presentes e mimos fora de época, né! (^_^) Ah, para quem não sabe, o {Apreciando um carinho} é uma forma de agradecer os presentes fora de época que recebo de pessoas queridas.

› A Elegância do Ouriço:

Meus pais iam fazer uma compra de livros na Amazon Brasil. Dai perguntei se seria possível eles incluírem um livro (que estava em promoção) para mim, já que eu só queria esse romance. Quando o livro chegou, eles me presentearam com A Elegância do Ouriço (*-*). Obrigada pelo carinho, mamãe e papai!

› Caneta Japonesinha:

A R. comprou no AliExpress um kit de canetas com design de japonesinhas (ou gueixinhas). Ela me pediu para escolher uma das cores e me deu essa fofura de mimo (*-*). Coloquei a caneta numa caneca que está na minha estante. Embelezou mais o local, rs. Obrigada pelo carinho, R.!

Então, alguém aí recebeu algum presente inesperado?

[Cortesia] Editora Estação Liberdade ~ O Garoto do Riquixá

A Editora Estação Liberdade acrescentou recentemente em seu catálogo de Domínio Chinês o romance O Garoto do Riquixá, de Lao She, com tradução de Márcia Schmaltz.

Fiquei contente com a inclusão de um romance chinês na editora, pois havia somente duas edições dos poemas da dinastia Tang, selecionados e ilustrados pela artista Kwong Kuen Shan. Ou seja, o romance de Lao She, que podemos considerar a primeira prosa chinesa do catálogo, deu início às traduções do mandarim pela Editora Estação Liberdade.

Pela sinopse, a narrativa de O Garoto do Riquixá se passa na Beijing dos anos 1920 e 1930, e acompanhará os dramas de Xiangzi. Estou curiosa para ver como o autor retratou esses anos, pois são tempos que carregaram diversos problemas da dominação estrangeira do final do século XIX (como por exemplo, a Inglaterra na venda do ópio); da Primeira Guerra Mundial; e da desunificação do país. Já no momento da trama, será interessante também ver como o autor utilizou fatos históricos, como a ascensão do militar Chiang Kai-shek na liderança do partido conservador chinês Kuomintang, que entra e vence na guerra contra outros Senhores da Guerra; o inicio da Guerra Civil Chinesa; e das tentativas de Kai-shek em erradicar os comunistas chineses. Bem, esses fatos históricos podem simplesmente ter pouca ou nenhuma presença na narrativa. Vamos ver. Estou curiosa (^_^). No mínimo eu espero muito drama.

A leitura de O Garoto do Riquixá será realizada em breve. Por favor, aguardem minhas impressões (^_~).

❖❖❖

O blog Lulunettes recebeu o lançamento O Garoto do Riquixá, de Lao She, de cortesia da Editora Estação Liberdade. Agradeço a confiança neste modesto espaço (^_^).