O cosmo de Seiji Yokoyama subiu até o céu como uma estrela.

Minha homenagem ao meu amado e inigualável compositor Seiji Yokoyama (横山菁児), que faleceu no último dia 8 de julho aos 82 anos.

{!} Disponible: Sous-titres en Français

Descanse em paz.

Impressões de Berserk (2017)

Ano passado compartilhei com vocês minhas primeiras impressões do novo anime Berserk, incluindo também um panorama da minha relação com a obra e das animações anteriores.

Quem acompanhou a primeira parte do novo anime, ou seja, os doze primeiros episódios lançados no Japão entre 1º de julho a 16 de setembro de 2016, notou que o Arco da Convicção foi reduzido. Este arco do Guts em busca da Casca com o medonho inquisidor Mozgus e seu grupo de torturadores da Ordem Religiosa da Santa Fé como antagonistas, é um dos momentos mais angustiantes e de teor violento do mangá. Mesmo bastante resumido, perdendo partes bacanas da trama e tendo como consequência alguns momentos apressados, no geral não achei o resultado tão desastroso e acredito que os produtores conseguiram repassar os elementos mais importantes.

Então seguimos para os doze episódios seguintes, que foram lançados no Japão entre 7 de abril e 23 de junho de 2017, e inicia o longo Arco do Império Milenar do Falcão. A continuação do anime apresenta inicialmente o breve reencontro de Guts com Griffith renascido; a aparição dos apóstolos comandados por Griffith em seu Novo Bando do Falcão; a formação do novo grupo de Guts, com Ishidoro, Farnese, Serpico e posteriormente com a bruxa Schierke; Guts vestindo a armadura amaldiçoada Berserker; e finaliza com uma ponta para a próxima temporada.

Irvine, apóstolo.

Conclui o anime na semana retrasada e estou com aquele vazio de uma obra tão boa não estar mais presente na minha vida. Sim, é nesse nível de exagero, hahahahaha.

Como a metade anterior houve uma redução significativa da trama mostrando apenas os pontos chaves, achei que os episódios iniciais do Arco do Império Milenar do Falcão foram melhores trabalhados. Mesmo cortando alguns momentos, você sente que a história flui com mais naturalidade. Por isso foi incrível acompanhar a continuação ♥.

E quando Guts finalmente veste a Berserker meu coração acelerou (*0*). A música Ash Crow, do compositor Susumu Hirasawa, tornou o clima desse momento tão aguardado um misto de sensações ao telespectador e de uma esperança duvidosa para Guts que poderá ter seu espírito dominado pela armadura.

Momento épico de Guts vestindo a armadura Berserker (legendado em português pela equipe do Saikô Animes):

Ai meu corassaum!!! (((o(*゚▽゚*)o)))

Esperava ver um dia este momento animado. Estou suspirando até agora ♥. Acho que já revi o 9º episódio (ou 21º episódio) umas dezenas vezes (^o^ ~ hahahaha).

Quanto à animação em CG (Computação Gráfica), mesmo achando desengonçada, consegui aproveitar bastante esses episódios. Acredito que tenha me acostumado. Porém cooperou o fato da sequência estar bem melhor trabalhada que os episódios do ano passado, causando aquela boa expectativa ao apertar o play (^_^).

Depois de concluir o anime, eu fiquei com vontade de reler o mangá. Acompanhando a obra de Kentaro Miura desde sua primeira publicação no Brasil, aquela edição (fuleragem) meio-tankōbon. Se não me engano é o título que acompanho há mais tempo. Atualmente estou adquirindo as nova edição tankōbon da editora Panini. Enfim, não sei se virei comentar alguma coisa sem pretensão por aqui. O tempo anda tão escasso, mas quem sabe aparece alguma coisa. Só não prometo (>_<).

No mais, aguardo com ansiedade a sequência (^-^/).

[Cortesia] Editora Estação Liberdade ~ Contos da Tartaruga Dourada

A Editora Estação Liberdade acrescentou recentemente em seu catálogo de Domínio Coreano um escrito do século XV considerado o ponto fundador da prosa coreana: Contos da Tartaruga Dourada, de Kim Si-seup, com tradução da professora Yun Jung Im. O escrito de Kim Si-seup combina sua prosa nas referências dos clássicos chineses e elementos filosóficos e religiosos xamânicos, budistas, taoístas e neoconfucionistas.

Se você quiser conhecer um pouquinho da influência do neoconfucionismo, que vem diretamente do pensador e filósofo chinês Confúcio, recomendo fortemente esse livro gracinha: O Gato Filósofo, de Kwong Kuen Shan. Mantendo a mesma ideia, a autora também publicou O Gato Zen (*esse eu ainda não tenho, infelizmente*).

Então, Contos da Tartaruga Dourada acabou de chegar por aqui e fiquei muito feliz ao recebê-lo (*que capa e marcador lindos!*). Estou bastante curiosa com a obra, pois por amar literatura japonesa tenho interesse em conhecer a coreana. Bem, a literatura japonesa clássica, bem como a cultura no geral daquela época, até pelo menos o Período Heian, tinha forte influência da literatura clássica chinesa como também da coreana. Os períodos podem não ser os mesmos, mas pela sinopse da obra de Kim Si-seup apresentar influências do passado, acredito que dá sim para ter uma noção básica.

A leitura de Contos da Tartaruga Dourada será realizada em breve e espero conseguir trazer uma resenha a altura desse clássico coreano. Por favor, aguardem minhas impressões (^_~).

❖❖❖

O blog Lulunettes recebeu o lançamento Contos da Tartaruga Dourada, de Kim Si-seup, de cortesia da Editora Estação Liberdade. Agradeço a confiança neste modesto espaço (^_^).

{Apreciando um carinho} O Sol e o Peixe, Senhor das Moscas e A Hora da Estrela

Hoje trago um {Apreciando um carinho} transbordando de amor ♥. Reforço o ~ transbordando ~, pois quando o humano digno do seu amor lhe dá livros, é de fazer o coração acelerar e o rosto corar, (=^o^=) hahahaha.

Meu honorável marido me presenteou com três romances desejados: O Sol e o Peixe, Senhor das Moscas e A Hora da Estrela.

» O Sol e o Peixe, de Virginia Woolf ~ A descrição dessa coletânea de título curioso, O Sol e o Peixe, chama bastante minha atenção por apresentar nove prosas dos mais variados assuntos; dos mais variados pensamentos de Virginia Woolf. Dos escritos de Virginia deve-se esperar coisa boa. E que capa linda!

» Senhor das Moscas, William Golding ~ Senhor das Moscas é considerado um dos romances essenciais da literatura mundial. Há algum tempo tenho curiosidade de ler a obra clássica de William Golding, pois além da sinopse ser instigante, o contexto em que o livro foi escrito aumenta ainda mais essa vontade.

» A Hora da Estrela, de Clarice Lispector ~ O romance mais popular de Clarice Lispector completa 40 anos em outubro deste ano. A Hora da Estrela ganhou uma edição comemorativa com trabalho gráfico sofisticado e variados anexos curiosos que sem dúvida complementaram a experiência de leitura.

Estou muito feliz com os novos livros (^_^). Muito obrigada pelos presentes, mon amour! Te amo! ♥