Mangá: Fragmentos do Horror – Junji Ito

Nascido em 31 de julho de 1963 na prefeitura de Gifu, Junji Ito abandona a carreira de dentista para se tornar mangaká. Em 1987 ele publica sua primeira obra, Tomie, na revista shoujo Gekkan Halloween. Esta obra lhe rende o Prêmio Kazuo Umezu e adaptações em live action. Com o sucesso de suas bizarras histórias, Ito-san é considerado o mestre, ou o príncipe, do mangá de terror e horror (*título mais que merecido*).

Em julho deste ano, a Editora DarkSide publicou Fragmentos do Horror. Uma coletânea originalmente pré-publicada entre 2013 e 2014 na revista shoujo Nemuki+, sendo A Mulher que Sussurra uma história pré-publicada na revista josei Shinkan, ambas as revistas da editora japonesa Asahi Shinbunsha. Em 2014 as one-shot foram compiladas, ganhando um encadernado intitulado Ma no KakeraFragmentos do Horror conta com oito one-shot: Futon, Monstro de Madeira, Tomio – Gola Rulê Vermelha, Suave Adeus, Dissecação-chan, Pássaro Negro, Magami Nanakuse e A Mulher que Sussurra.

Não vou me ater comentando cada história. Afinal qualquer detalhe pode entregar a surpresa e estranheza que essas narrativas causam. Então vá sem saber nada ou o mínimo possível (*quem avisa amigo é*). O efeito surpresa é o que vai lhe trazer a sensação de boa leitura. Entretanto, gostaria que soubessem que o desenvolvimento dessas tramas, tendo elas poucas ou uma quantidade de páginas maior, são extremantes fascinantes e que grudam na mente.

Minhas narrativas preferidas foram: Tomio – Gola Rulê Vermelha e Suave Adeus. A primeira narrativa trás uma agonia bem curiosa. Por outro lado minha segunda favorita trouxe uma história um tanto triste. Eu fiquei melancólica quando a conclui. (…) Já o meu honorável marido, que fez leitura compartilhada comigo, gostou mais de Monstro de Madeira e Pássaro Negro.

No final do mangá, há uma posfácio onde Junji Ito comenta que havia passado oito anos trabalhando em outros projetos, ou seja, sem criar narrativas de horror. Ele se sentiu enferrujado no desenvolvimento dessas histórias, principalmente com Futon. Sinceramente, eu não achei que as narrativas deixaram a desejar. Convenhamos que para alguém que passou quase uma década trabalhando com outras coisas, Fragmentos do Horror apresenta tramas mais que suficientes. O autor e o editor poderiam considerar essa coletânea como um bom aquecimento.

Bem, nesse mesmo posfácio, datado de 30 de abril de 2014, o mangaká também comenta sobre o falecimento de seu editor, o Sr. Toshiyasu Harada, e de seu gatinho Yonsuke. Fico pensando se Suave Adeus tenha sido inspirada neles. Afinal, Junji comenta “Como queria poder ter trabalhado com o Sr. Harada de novo. Seu passamento deixou um buraco no meu peito.”.

Ito Junji ♥

Quanto à arte de Junji Ito, é um traço estranhamente sofisticado, que combina perfeitamente com a temática do terror e do horror. Particularmente acho bonito (^_^). Destaco as expressões faciais, que fazem toda a diferença na narração e tensão gradual das histórias. Nessa coletânea, acho que Ito mistura seu estilo passado, com o estilo de seu trabalho autobiográfico (*me refiro ao engraçado mangá Ito Junji no Neko Nikki: Yon & Mu, do qual o autor conta a história de seus dois gatinhos*), mas sem deixar de registrar sua marca, suas características.

Em relação ao trabalho gráfico da edição nacional, que impecável! Material e impressão de qualidade. A Editora DarkSide trouxe tanto para os amantes de mangá, como para os amantes do terror / horror, um produto que não pode ser dispensado. Além disso, o design da capa, retirado do original japonês, te instiga a ler (*-*).

Não é a primeira vez que Junji Ito é publicado no Brasil. Tivemos por aqui o incrível Uzumaki – A Espiral do Horror, lançado em 2006 pela Editora Conrad, contendo três volumes. Espero agora, torço muito mesmo, que Ito-san ganhe força por aqui e que outras obras dele sejam publicadas. A DarkSide poderia publicar outras coletâneas, começando pela ordem cronológica.

Fragmentos do Horror trás tramas originais, que não causam medo, mas que irão imergir a fundo no seu subconsciente provocando aquela estranha agonia. Depois de segurar esse mangá, você saberá que este é um material especial, que merece um lugar na sua estante. Pois é uma obra que apresenta um bom panorama do mundo (aterrorizante) de Junji Ito.

.

Título: Fragmentos do Horror
Título original: Ma no Kakera, 魔の断片
Autor: Junji Ito
Tradução: Akemi Ono
Editora: DarkSide Books
Páginas: 224
Ano: 2017

Anúncios

5 respostas em “Mangá: Fragmentos do Horror – Junji Ito

  1. Pingback: Os melhores de 2017 | Lulunettes

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s