Mangá: Akira (Volume 1) – Katsuhiro Otomo

Originalmente publicado entre 1982 e 1990 nas páginas da revista Young Magazine e posteriormente reunido em seis volumes pela editora Kodansha, o tão aguardado mangá Akira, de Katsuhiro Otomo, ganhou finalmente recentemente uma sublime edição nacional que já está ao alcance das mãos (*-*). Os seis volumes do seinen de Otomo são intitulados: Tetsuo, Akira I, Akira II, Kei I, Kei II e Kaneda.

Hoje trago minhas impressões do primeiro volume: Tetsuo (*Tetsuooooooooo! para os íntimos*).

A narrativa começa em 1982, com uma bomba explodindo em Kanto, sendo este evento o estopim de uma guerra em escala mundial. Após trinta e oito anos da Terceira Guerra Mundial, estamos na Neo Tokyo de 2019 D.C. em seu estado terminal. É neste contexto de decadência, que vamos acompanhar os dois adolescentes delinquentes Shotaro Kaneda e Tetsuo Shima, que fazem parte de uma gangue de motoqueiros. Nas andanças por partes inativas da cidade, Tetsuo sofre um acidente ao cruzar o caminho de uma assustada criança com o rosto enrugado e o número 26 escrito na palma da mão. Muito ferido, Tetsuo é apoiado por um instituto misterioso. O ultimo alimenta projetos estranhos e torna Tetsuo uma cobaia para seus experimentos. Quanto a Kaneda, ele acaba conhecendo membros da resistência que tem como objetivo impedir o desenvolvimento do Projeto Akira.

O primeiro volume de Akira já começa a envolver o leitor de forma definitiva. Não é por eu conhecer essa obra maravilhosa que estou dizendo isso, mas pela capacidade de Otomo de fisgar nossa atenção neste mundo pós-apocalíptico impecavelmente bem desenvolvido. Enalteço este clássico dos mangás em primeiro lugar porque o enredo é emocionante, como também porque o autor consegue desenvolver os elementos presentes na trama com grande dinamismo. E o fato da edição não ter capítulos causa o difícil problema de não lagar o volume até a última página.

Quanto à arte de Katsuhiro Otomo, ela reflete o estilo dos anos 80, e o que poderia ser um traço datado, torna-se um estilo bastante próprio. A arte de Otomo tem surpreendente dinamismo e detalhe. Também gosto da organização dos quadros, todos cuidadosamente elaborados nos ambientes representados e possibilitando uma imersão eficaz na história. Por fim, eu adoro as caras e bocas do Kaneda, hahahaha.

Essa edição que a JBC trouxe é a versão definitiva de Akira. O trabalho editorial foi controlado pelo próprio mangaká e pela editora japonesa Kodansha. Ou seja, a partir de agora as edições de Akira publicadas no mundo terão o mesmo formato e as mesmas características, como por exemplo, à preservação das onomatopeias. Particularmente achei a edição muito bem cuidada e o formato 17,8 x 25,6 cm nos ajuda a perceber mais os detalhes das cenas, que são cheias de elementos. O único ponto negativo é o preço, que convenhamos machuca o bolso. Quanto a não tradução da orelha, foi um pedido do autor. Por isso a forma original do texto (em inglês e mandarim) fora mantida. Mas a JBC traduziu a orelha do texto em inglês e você pode conferir a tradução aqui.

No entanto esta não é a primeira aparição de Akira por aqui. A primeira vez que Akira apareceu no Brasil foi pela Editora Globo, entre anos de 1990 e 1998, numa edição tipo revistinha, com páginas espelhadas e colorizadas, tendo suas capas redesenhadas e totalizando 38 revistas. Uma heresia, sem dúvida. Mas naquela época o acesso ao material era através dos norte americano que trabalhavam dessa estranha forma.

♥ Akira ~ Meu Mangá, DVD e Blu-ray ♥

Para quem acompanhou Akira por essa antiga publicação ou por scanlacition, conhecem a grande potência dessa obra. E para aqueles que desconhecem, vá imediatamente assistir ao filme lançado em 1988, com sua animação e trilha sonora fodástica. Para ambos os casos, recomendo fortemente a aquisição da edição definitiva (^_~). Ah, quando o mangá for concluído por aqui, comento sobre a animação. Eu adoro esse filme! (*-*)

Com os eventos que cercam Kaneda e Tetsuo, os mistérios relacionados ao Projeto Akira e a evolução das personagens neste grande enredo, o mangá de Katsuhiro Otomo apresenta uma narrativa complexa para descobrir e redescobrir. Claro que depois deste primeiro volume, Akira está longe de ter revelado todos os seus segredos. Aguardemos com ansiedade o avançar da narrativa no segundo volume.

.

Título: Akira
Título original: Akira, アキラ
Autor: Katsuhiro Otomo
Volume: Vol. 1 – Tetsuo
Tradução: Drik Sada
Editora: JBC
Páginas: 362
Ano: 2017

Anúncios

2 respostas em “Mangá: Akira (Volume 1) – Katsuhiro Otomo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s