XII Bienal Internacional do Livro do Ceará

A XII Bienal Internacional do Livro do Ceará ocorreu entre os dias 15 a 23 de abril deste ano, com visitação gratuita, no Centro de Eventos do Ceará, em Fortaleza. Eu sempre conto os dias quando divulgam as datas, pois acho o evento agradável. Desta vez visitei a feira duas vezes. Agradeço a companhia da querida Lua e de sua família e dos bons reencontros com outras pessoas dos livros.

› Momentos Literários:

» Ana Miranda: Finalmente conheci a autora Ana Miranda (^_^). Eu gosto muito do estilo de escrita dela. Acho tão próprio. Comentei com ela que havia amado seu ultimo livro, Xica da Silva. Registramos o momento e ela autografou meu exemplar de Semíramis. Ana me disse que gostou da minha blusa com estampa de gatinhos (=*-*=). Foi um prazer conhecê-la e assistir sua palestra em conjunto com a escritora Marina Colasanti.

» Paulina Chiziane: Também conheci a escritora moçambicana Paulina Chiziane. Ela estava em algum estande que não lembro o nome, mas acho que era um referente à literatura africana. Nunca li nada dela, mas sei um pouco sobre sua história de vida. Paulina foi à primeira mulher a escrever um romance em seu país. Além da boa oportunidade de conhecê-la, adquiri seu livro As Andorinhas que foi devidamente autografado.

› Aquisições:

Na maioria dos estandes os livros estavam com preços salgados e os descontos fracos. Mas naqueles típicos estandes de dez reais, procurando muito, dá para achar alguma coisa legal. Minhas aquisições foram:

» A Revolução das Mulheres. Emancipação Feminina na Rússia Soviética, de Vários Autores (Editora Boitempo): Estava muito, mais muito interessada nesse livro. O motivo? Há um texto da Aleksandra M. Kollontai. Estou fascinada pelo que esta mulher fez no Governo Revolucionário. As russas ganharam igualdade numa só canetada quando Kollontai, ministra, modificou aspetos das leis que subjugava as mulheres. É nesse tipo de feminismo que eu acredito. Ações que fazem diferença na vida prática das mulheres.

» A Nova Mulher e a Moral Sexual – Alexandra Kollontai (Editora Expressão Popular): de acordo com as informações, este livro reúne dois textos da Kollontai que focam no aprendizado político e nas conquistas da revolução na construção das novas relações de classe e gênero. Ansiosa para ler. Afinal, é da Alexandra Kollontai.

» Reivindicação dos Direitos da Mulher, de Mary Wollstonecraft (Editora Boitempo): Este é outro livro de não ficção que estava curiosa para ler desde seu lançamento. Admito que o motivo inicial foi por a autora ser mãe da minha amada Mary Shelley. Só que quando li a respeito do escrito de Mary Wollstonecraft o motivo tornou-se outro. Será interessante conhecer o considerado um dos documentos fundadores do feminismo escrito no século XVIII.

» A Capital, de Eça de Queirós (Editora Globo): Eu não conhecia esse romance do Eça de Queirós. Então o levei sem pensar duas vezes. Afinal, Eça por 10 reais (mesmo empoeirado), seria vacilo não incluir na cesta. Em casa, mostrei minhas aquisições ao meu honorável marido. Na vez de A Capital, ele me disse que essa obra do Eça fora proibida na época da Ditadura Militar por o título lembrar a obra de Marx.

» Flor Negra, de Kim Young-Ha (Editora Geração): Li no inicio deste mês Flor Negra com uma querida amiga. No entanto minha leitura foi realizada em e-book. Como gostei demais desse romance histórico sobre a imigração coreana ao México, ia comprar o livro físico bem futuramente; só que acabei esbarando com essa beleza por 10 reais. Muito bom quando acontecem esses momentos de sorte.

» Duas vidas Gertrude e Alice, de Janet Malcolm (Editora Paz e Terra): outro momento de sorte foi encontrar essa biografia sobre o casal de escritoras Gertrude Stein e Alice B. Toklas que estava na minha lista de desejados há séculos. Paguei somente 10 reais. Foi um baita achado. Fiquei muito feliz.

» Who Fighter e O Coração das Trevas, de Seiho Takizawa (HQM Editora): deixei esse mangá passar na época de seu lançamento. Depois disso, acabou que nunca mais o vi. Enfim, achei um exemplar por acaso numa pilha bagunçada de 10 reais e tive de levar, porque se deixasse naquele amontoado o perderia para sempre, hahaha.

» Flash Gordon no Planeta Mongo, de Alex Raymond (Editora Pixel): Esse quadrinho eu comprei para o meu marido. Ele adorou! Gente, adquiri por 10 reais esse quadrinho luxuoso do Flash Gordon que custa R$89,90 nas livrarias. Então foi uma compra e tanto. Acho que nunca comprei um exemplar de ótima qualidade gráfica tão barato. Por isso, jamais saberei se ele gostou do quadrinho ou do preço (>_<).

» Ecobag “Todo poder aos sovietes” (Editora Expressão Popular): Sendo uma leitora que gosta de transportar seus livros com cuidado, inclui essa lindeza com estampa revolucionária para combinar com o look do dia, hahaha. Este ano a Revolução Russa completa 100 anos ♥. É um item comemorativo confeccionado pela Expressão Popular. Achei a qualidade do material ótima e resistente. Na estampa diz “Todo poder aos sovietes” referente ao Conselho Operário formado pela classe trabalhadora. Ou seja, o poder deve ser dos trabalhadores.

Gostei muito da XII Bienal Internacional do Livro do Ceará! O evento foi organizado e cheio de atrações interessantes, além de acessíveis, pois nas palestras havia intérpretes da Língua Brasileira de Sinais. Acredito que essa foi uma das melhores bienais do estado. Já estou ansiosa pela próxima (^_^).

É isso. Até logo meu povo! (^o^/)

Anúncios

11 respostas em “XII Bienal Internacional do Livro do Ceará

    • (^_^) Anna, mesmo não tendo lido (ainda) esses livros, recomendo “A Nova Mulher e a Moral Sexual” e “A Revolução das Mulheres. Emancipação Feminina na Rússia Soviética” por causa da Aleksandra Kollontai. Essa mulher é foda!!!! ❤
      Tu conseguiu alguma coisa na Bienal? Se sim, vai postar no blog?
      Bjs!

  1. Olá!

    Muito bacana você ter conseguido autógrafos, eu acabei esquecendo meus livros em casa…

    A bienal desse ano trouxe tantos autores interessantes que parte da minha diversão no evento foi migrar de sala em sala para ouvir as mesas.

    Você fez compras interessantes, aproveitei para anotar o nome de alguns livros aqui. A bag está linda.

    Beijo,

    Samantha Monteiro
    Degrau de Letras

    • Samantha, tive sorte em relação aos autógrafos. Consegui na segunda-feira (17), ou seja, dia de menos público. No caso da Ana Miranda, eu acabei me esquecendo do livro. Lembrei justamente no caminho (>_<) (*e olha que fui exatamente para assistir a palestra dela, hahaha*). Tive que comprar um exemplar por lá, já que não perderia essa chance.

      Concordo. Teve vários autores interessantíssimos. Foi maravilhosa nossa Bienal!

      Obrigada! Legal! (^_^) A Expressão Popular caprichou na ecobag comemorativa.

      Beijos!

    • (^_~) Com certeza! Quanto a Paulina Chiziane, estou bastante curiosa. Gostei muito de conhecê-la (^_^). “Flor Negra” é sensacional! Eu fui com baixa expectativa e adorei o romance. Valeu a pena! Beijos, Michelle!

  2. Estou lendo atualmente Niketche: história de poligamia, da Pauline Chiziane, e estou adorando! Nãp é fácil de ler, não tem nada a ver com a forma, mas sim com o conteúdo. Sofro muito com as mulheres desse livro.
    Estou tentando ver se consigo ir numa feira do livro em Poços de Caldas – MG, apenas para vê-la! Sou de Campinas-sp, e esta é a maior dificuldade, mas veremos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s