Livro: Tropas Estelares – Robert A. Heinlein

Tropas Estelares - Robert HeinleinMeu primeiro contato com Tropas Estelares foi através do ótimo filme dirigido por Paul Verhoeven de 1997. Com um filme que aparentemente beira a paródia, o diretor neerlandês conseguiu fazer um milagre naquela película. Então acreditei que o clássico de Robert Anson Heinlein traria mais detalhes sobre a sociedade daquele universo. Infelizmente não foi bem o caso =/

Tropas Estelares, do norte-americano Robert A. Heinlein, publicado originalmente em 1959, vencedor do Prêmio Hugo de Melhor Romance em 1960, retrata como Juan “Johnny” Rico passou por seu alistamento de infantaria móvel do exército, seu treinamento e sua decisão de seguir carreira militar.

Toda essa narrativa em primeira pessoa se passa numa sociedade militarista globalizada e controladora, que invade outros planetas, e que forma cidadãos e dispensa os fracos que ignoram o conceito de dever. Resumindo, para ter direito ao voto e uma participação politica é necessário concluir o serviço militar. Ou seja, passando com sucesso esse período, o cidadão ganharia todos os direitos. Mesmo com um plano de fundo curioso, do qual gostaria de entender mais, é praticamente ignorado. A luta contra os Aracnídeos também é pouquíssimo explorada.

Robert Heinlein foca suas 352 páginas somente na carreira militar, no conceito de dever de um soldado e do sacrifício. Tudo muito honrado, inspirador e empolgante para que os jovens sintam o desejo de se alistarem, seguindo o mesmo caminho do ingênuo Johnny Rico que sofreu uma lavagem cerebral e caiu no conservadorismo, tornando-se mais uma peça da cúpula. Não vejo problema nos serviços militares, mas no objetivo deste, principalmente quando o lema é o perigoso “moral e bons costumes”.

Com esse único destaque, a trama acaba ficando demasiadamente sacal. O autor também fez uma critica superficial ao comunismo com um exemplo bobinho. Enfim, Tropas Estelares me pareceu mais uma ode a sociedade com conceitos meritocráticos e militarista. O que é uma pena, pois o autor tinha bons elementos em mãos e não soube explorá-los. As poucas cenas de batalhas são bem descritas, mas logo começa a incessante ladainha das virtudes do militarismo. Tentei encontrar alguma mensagem contraria nas entrelinhas, mas o autor dá várias munições para que pensemos o contrário.

As únicas coisas boas que surgiram graça ao clássico de Heinlein, foi o filme de Verhoeven, o filme Aliens (1986) que incorporou temas do romance e como importante fonte de inspiração para Yoshiyuki Tomino criar os robôs gigantes Mobile Suit Gundam (*adoro!*). No caso do criador da série Kidō Senshi Gundam (1979), ele cunhou o termo “mobile suit” em referência ao “mobile infantry” presente em Starship Troopers. O anime fez tanto sucesso – mesmo com alguns comentários idiotas do protagonista Amuro Rei, piloto do Gundam RX-78-2 – que Gundam virou uma franquia que se estende até hoje.

Mobile Suit Gundam (1979) –

Aproveitando o assunto, tenho de destacar minhas adaptações do universo Gundam favoritas: Mobile Suit Gundam Wing (*_*) e Mobile Suit Gundam 00 (*_*). Sério, assistam! ❤ Ah, atualmente no Japão, estão produzindo especiais de Mobile Suit Gundam: The Origin centrado na história dos irmãos Casval e Artesia. Estou gostando bastante do resultado! (^_^)

Mobile Suit Gundam Wing (1995) –

Mobile Suit Gundam 00 (2007) –

Mesmo com uma escrita fluida e ideias interessante, devido ao mau uso dos elementos na narrativa, esse clássico da ficção científica do século XX tornasse demasiadamente cansativo. Tropas Estelares, de Robert A. Heinlein, é um caso raro do filme ser melhor que o livro.

.

Título: Tropas Estelares
Título original: Starship Troopers
Autor: Robert A. Heinlein
Tradução: Carlos Ângelo
Editora: Aleph
Páginas: 352
Ano: 2015

.

Tropas Estelares - Presente da R.

Tropas Estelares, de Robert A. Heinlein, foi um presente fora de época da minha querida amiga R. e escolhido pelo meu amigo R. que sabe que gosto do filme =D Ela me disse que como sou sempre gentil e lhe encho de mimo era uma forma de agradecer. Que fofinho! (*-*) Fiquei tão sem jeito quando recebi (=^.^=) Muito obrigada! ❤

.

  • Adaptações:

› Tropas Estelares ~ Adaptação Cinematográfica:

Tropas Estelares (Starship Troopers)

Dizer que Paul Verhoeven é um dos melhores diretores não é exagero. Ele sabe dirigir e um bom exemplo disso é Tropas Estelares (1997). O diretor teve de reconstruir a história como um todo, pois o livro é insuficiente de informações acerca do universo e mesmo com péssimos atores, e como comentei anteriormente, um filme beirando a paródia, Verhoeven transforma o que poderia ser uma atrocidade da história do cinema em uma narrativa curiosa e que te prende. Nota-se que o diretor neerlandês se preocupa com a trama, com cada detalhe da história que vamos acompanhar. Ele também atrai e prende nossa atenção com criticas a nossa sociedade hipócrita e contraditória (*os momentos das propagandas são os melhores!*). Do romance original houve várias mudanças: acréscimo de personagens, foco da narrativa, exclusão da armadura da Infantaria Móvel, etc. Quem gosta do livro dificilmente vai simpatizar com o filme. Cheguei a Tropas Estelares com preconceito e felizmente quebrei a cara, rs. Uma das cenas que me marcou na primeira vez que assisti foi os soldados na sala de banho da base. Ali nenhuma mulher estava sendo sensualizada e todos, homens e mulheres, tomando banho juntos de forma natural. Algo que impacta, pois sabemos que a realidade atual não chega nem perto disso. Enfim, Starship Troopers, dirigido por Paul Verhoeven, é um longa-metragem que recomendo, não por adaptar um clássico da ficção cientifica, mas pelas criticas escrachadas a nossa sociedade que o diretor nos oferece.

› Uchuu no Senshi ~ OVA:

Tropas Estelares (Uchuu no Senshi_OVA)

Uchuu no Senshi é um OVA produzido pela Bandai Visual e Movic com o estúdio Sunrise, com direção de Amino Tetsuro, lançado em 1988. A animação de seis episódios baseia-se no clássico de Robert A. Heinlein e é dedicado ao autor norte-americano. O anime é bem fiel à obra original, porém com sutis mudanças. Sobre o character design, achei tenebroso e mesmo pra época dava para terem feito algo digno. No entanto gostei do design das armaduras da Infantaria Móvel, acredito que pegou com fidelidade a descrição. No geral, Uchuu no Senshi é cansativo, conseguindo até pegar essa essência do livro.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s