Quadrinho: Daytripper – Fábio Moon & Gabriel Bá

Daytripper - Fábio Moon & Gabriel BáHmm… Como resumir o quadrinho dos irmãos Fábio Moon e Gabriel Bá, que foi lançado inicialmente nos Estados Unidos em 2011?! A melhor forma que encontrei para não entregar a história, para que você aprecie tão quão aprecei, é lhe dizer que esta HQ se resume a 10 capítulos, 10 idades diferentes, 10 momentos-chave na vida de Brás de Oliva Domingos, mas com um único propósito: a sua morte.

Daytripper nos envolve facilmente. É difícil largar o romance em forma de quadrinho depois de concluir o impactante primeiro capítulo e descobrir nas histórias seguintes as alegrias e as tragédias de toda uma existência.

O tom da narrativa de Daytripper é interessante, tanto na sua substância como na sua forma. Os desenhos são bonitos e dinâmicos, a variada palheta de cores reflete as sensações de suas personagens. Dá a impressão de estar viajando num sonho, vivendo em meio a paradoxos. Prestar atenção aos detalhes das cores e das formas é um momento agradável na leitura e de suma importância, pois ler a arte é essencial em um quadrinho.

O que aprecei na obra dos gêmeos foi o tom sonhador. Mesmo com o recheio clichê, a trama, a mensagem sobre a vida é bem construída, e, faço questão de repetir, envolvente. Os diálogos são fortes e nos trás momentos de reflexão sobre o que nós somos e o que nós gostaríamos de ser.

Antes de continuar com minhas impressões, gostaria de compartilhar o diálogo que achei mais tocante:

Daytripper (página 220)

Acredito que esse diálogo me chamou simplesmente a atenção por comparar a vida ao livro. Bem, para aquele que aprecia ler acaba sendo um momento de identificação (^_^).

Quem leu Daytripper, por favor, aprochegue. Então, se entendi bem a obra, na verdade as mortes de Brás são metafóricas. O protagonista escreve seu próprio obituário com o objetivo de entender o seu lugar neste mundo e o objetivo de sua vida. Morrendo, ele acredita de alguma forma que o faz apreciar melhor a vida. Você teve a mesma impressão? Ou sentiu algo diferente?

Daytripper, dos irmãos Fábio Moon e Gabriel Bá, narra sonhos, amor, família, amizade, medo e desejo. Os episódios embaralhados nos relembra que viver é morrer um pouco a cada dia. Então, celebre a vida!

.

Título: Daytripper
Autores: Fábio Moon & Gabriel Bá
Tradução: Érico Assis
Editora: Vertigo / Panini
Páginas: 260
Ano: 2011

Anúncios

6 respostas em “Quadrinho: Daytripper – Fábio Moon & Gabriel Bá

  1. Eu entendi da mesma forma, Lulu. Achei o HQ lindo. Dos HQs que li até hoje é o que tem mais poesia nas imagens, mais momentos de silêncio eloquente, sabe? É um dos meus favoritos.
    Escrevi sobre ele no blog, mas já tem um tempinho.
    Beijo! ^_^

    • Eduarda, o clique dessa conclusão (que as mortes de Brás são metafóricas) só veio no ultimo capítulo (>_<). Também achei Daytripper bonito e concordo que as imagens são poéticas, uma arte que diz muito.
      Já passei lá e comentei 😉 Beijos!

  2. Ah, quero muito ler! Eu geralmente vou deixando os quadrinhos meio de lado, sabe? E com isso perco cada coisa! Os únicos que li atá agora (ou pelo menos os que eu lembro de cara) foram “Retalhos”, “Habibi”, “Maus” e “Asterios Polyp”. Aliás, recomendo estes também… Você já leu algum?
    Vou procurar um Daytripper pra chamar de meu. 🙂
    Um beijinho!
    http://www.literasutra.com

    • Monalisa, acho que você vai gostar bastante de “Daytripper” (^_^). Eu tenho interesse maior nos mangás que nos quadrinhos, então acho que perco também (U_U). Ainda não li: “Retalhos”, “Habibi” e “Maus”, mas tenho interesse sim, principalmente às obras do Craig Thompson. “Asterios Polyp” li e achei incrível! Ah, caso não tenha lido esse quadrinho, recomendo muito “Persépolis”, de Marjane Satrapi ❤
      Beijos!

  3. “Daytripper” foi uma das primeiras graphic novels que li e me fez virar fã do gênero. Já faz um tempinho que li, mas interpretei cada “vida” do protagonista como uma possibilidade. Todas poderiam ser reais, se ele tivesse tomado uma ação X ou deixado de tomar uma ação Y. O bacana é que podemos ver como cada escolha dele afeta a vida daqueles que o cercam.
    Foi uma ótima leitura.
    bjo!

    • Michelle, inicialmente eu estava com a mesma interpretação que a sua, mas no último capítulo veio um clique e a mensagem que Daytripper estava me passando… Mudou. Verdade que cada escolha de Brás afeta a vida daqueles que o cercam. Bem, não é diferente na vida real (^_^). Beijos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s