Livro: Evelina – Frances Burney

Evelina - Frances BurneyO romance epistolar de Frances Burney foi publicado anonimamente pela primeira vez em 1778, e relata, em três volumes, a iniciação da delicada jovem Evelina à vida social britânica. Em suas trocas de carta com seu protetor, Rev. Mr. Villars, principalmente, ela irá apresentar o melhor e o pior desta sociedade privilegiada. Visitamos então uma Londres e arredores da segunda metade do século XVIII sem filtro.

A obra de Burney me passou duas impressões distintas. A primeira delas é a maneira como a autora brinca com os modos hipócritas de sua época, satirizando a sociedade britânica, mostrando os sentimentos e condição feminina travestida de boas maneiras, dos valores masculinos opressivos, escrachando sem timidez a farsa e ações sociais nada educadas e brutas. Ou seja, uma crítica a toda essa sociedade de modos ridículos. Fiquei impressionada como a autora constrói essa sátira à sociedade e às suas pretensões de modo incrivelmente palpável.

A outra impressão que tive é de que o tema central do romance seja ensinar as senhoritas, que tenham atingido a idade de casar, a agir corretamente no meio social. Fiquei com esta variada sensação, pois a protagonista, mesmo fina e educada, tem valores “rústicos” inicialmente e ela aprende as habilidades sociais mais polidas e gradualmente estabelece uma relação harmoniosa com o mundo urbano. Então me parece que Evelina também é um manual de conduta para as damas encontrarem um casamento vantajoso e com sentimentos.

Um dos acometimentos da trama que me interessou em demasia foi o drama do nascimento duvidoso de Evelina. Apreciei o desenrolar tímido e principalmente o desfecho sem rodeio.

Mesmo me interessando bastante em saber os pormenores da vida social britânica da Era Georgiana, da condição limitada da mulher que enfrenta situações de desrespeito, da vida crua e sem nenhuma película de cortesia, demorei a concluir o romance por achar a leitura arrastada e em alguns momentos sacal. Acredito que a causa dessa sensação de falta de fluidez seja devido à estrutura da narrativa do qual não tenho tanta familiaridade.

Evelina

Um detalhe que creio importante e essencial em ressaltar foi o cuidado que a editora teve em manter as ilustrações da época. Durante a leitura as belas ilustrações fizeram uma diferença considerável, pois além de imaginarmos as situações descritas, as artes nos ajudam a enriquecer a narrativa visualizando os trajes, ambientes e trejeitos. Se as ilustrações tomassem uma página inteira seria primoroso.

Meu principal interesse em ler Evelina foi saciar a curiosidade de saber o que Jane Austen lia e apreciava (^_^). Tal desejo me proporcionou uma visão sem filtro e de aprendizado dos pormenores da sociedade britânica nada pomposa. Por isso, mesmo com minhas ressalvas, recomendo fortemente o riquíssimo romance de Frances Burney. E espero que a editora Pedrazul publique as demais obras de ficção da autora.

.

Frances Burney (1752 ~ 1840)

Frances_d'Arblay_('Fanny_Burney')_by_Edward_Francisco_BurneyFrances Burney, também conhecida como Fanny Burney, nasceu em 13 de junho de 1752, em Lynn Regis (agora King’s Lynn), sendo a terceira de seis filhos do compositor e historiador da música Dr Charles Burney e de sua esposa Esther Sleepe Burney. A autodidata Frances começou a escrever, o que ela chamou de “rabiscos”, com dez anos. Frances Burney é considerada uma das primeiras romancistas britânicas. Evelina (1778), um dos seus grandes romances, publicado na segunda tentativa, foi sucesso de crítica, recebendo elogios de indivíduos respeitados e é ainda hoje popular. O ato de publicação foi radical para uma mulher naquela época e de sua idade. A mãe da literatura britânica escreveu romances, peças, biografia e deixou diários valiosos. Em 1793 ela se casou com o general francês Alexandre D’Arblay. Seu único filho, Alexander, nasce em 1794. Depois da carreira e viagens, sua família se estabelece por mais de dez anos na França. Após a morte do marido, Frances muda-se para Londres, onde permaneceu até sua morte em 6 de janeiro de 1840.

.

Título: Evelina – A história da entrada de uma jovem dama no mundo
Título original: Evelina – Or the history of a young lady’s entrance into the world
Autora: Frances Burney
Tradução: Gabriela Alcoforado
Editora: Pedrazul
Páginas: 388
Ano: 2014

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s