[Concerto] Pegasus Symphony

Pegasus SymphonyNa noite de sábado do dia 18 de outubro de 2014 no Grand REX em Paris, ocorreu o primeiro concerto dedicado inteiramente à trilha sonora de Saint Seiya (Les Chevaliers du Zodiaque, Os Cavaleiros do Zodíaco), intitulado Pegasus Symphony. Infelizmente sem a participação do Seiji Yokoyama.

E eu estava lá! Adquiri o ingresso Classe D’or para conseguir ver de pertinho a orquestra francesa e ter a melhor experiência possível. Adianto que tal desejo não aconteceu (╯︵╰,).

Chegamos, eu e meu marido, no Grand REX as 19h00. Ficamos na fila; passamos pela segurança; retiramos as camisas + programa oficial do concerto destinado ao ingresso d’or (a fila estava tão desorganizada, que acabou misturando com quem queria adquirir os produtos, com quem queria retirar seus itens do ingresso d’or. Para completar a desordem, quando chegou minha vez, uma francesa abusada quis passar na minha frente (¬_¬)); depois adquiri uma simpática ecobag com a logo do concerto; e finalmente sentamos na nossa poltrona numerada pertinho do palco (só tinha duas fileiras a nossa frente). Ah, nossos acentos foram aleatórios. Ou seja, na compra não tivemos a opção de escolher. Felizmente ficamos num bom local.

Aguardando a hora, fiquei prestando atenção no bonito e grande ambiente. Acabei notando a bagunça que estava acontecendo por lá, algumas pessoas conversando literalmente gritando, e fiquei com receio desse barulho continuar no momento do concerto. Ainda esperando, conversei com um simpático rapaz a minha frente. Ele e os amigos ficaram surpresos quando souberam que éramos do Brasil.

O concerto atrasou uns 15 minutos. Antes de a orquestra francesa começar, foi dado o aviso que não poderia fotografar, nem filmar. Aviso dado, o maestro (Jean Thorel) salda o publico e se posiciona. Começou! Fiquei vidrada no palco.

Acte I

I. Jokyoku – Ouverture
II-1. Tsuioku – Kanashimi
II-2. Yume no naka ni
III. Rettou no kanata e
IV-1. Kibô no Saint
IV-2. Gekitotsu! Sanctuary
V. Tobe! Pegasus
VI-1. Kessen mae yoru
VI-2. Shôsô ~ shinobi yoru kage
VII-1. Senritsu no Sanctuary
VII-2. Shiren no toki
VII-3. Fukushû oni Phenix
VII-4. Seiiki (Sanctuary), shi no kairitsu
VIII. Kareinaru Gold Saints
IX. Pegasus Fantasy – 21st Century Version (Nobuo Yamada)

~ Intermission ~

Acte II

X-1. Aratanaru senun
X-2. Valhalla Kyûden o mezase
XI. Hokkyokusei no Hilda
XII. Densetsu no kami tôshi
XIII-1. Frey – ai to seigi no yûsha
XIII-2. Abel
XIV. Dead end Symphony
XV. Yûjô no Cosmo
XVI. Densetsu no jidai e
XVII. Athena no Shinu
XVIII. Ryûseiken o ute

Encorre

XIX. Athena no Thema
XX. Eien Blue – 21st Century Version (Nobuo Yamada)
XXI. Pegasus Ryuseiken

Achei a seleção ótima! Tocaram um pouco de tudo: Santuário, Asgard (série e filme), Poseidon, Hades e Éris. Só não houve nenhuma do Lúcifer.

Como ouço a trilha sonora de Saint Seiya desde que me conheço por gente e a ouço até hoje (*músicas preferidas da vida*), a orquestra infelizmente não tinha domínio. Algumas músicas iam depressa demais ou lentas demais e outras sem equilíbrio. Dead end Symphony, por exemplo, teve uma execução triste: a flauta transversal, que é o elemento principal, ficou completamente abafada pelos outros instrumentos. Diferente de Rettou no kanata e, Tobe! Pegasus e Densetsu no Jidai e que ficaram boas.

Pegasus-Symphony_01

As melhores performances foram tocadas junto ao Make-Up x Broadway. Os japoneses dominaram! Meus olhos brilharam com Fukushû oni Phoenix (*_*). O baterista (Mitsunori Yoshioka), o tecladista (Yohgo Kohno), o baixista (Yasuhiko Iwata) e o guitarrista (Yoichi Matsuo) estavam empolgados, e isso se transmitia no som e a orquestra francesa conseguia acompanhar. Também achei muito legal que o Nobuo Yamada tenha cantado as versões 21st Century Version de Pegasus Fantasy e Eien Blue, pois nunca tinha visto ao vivo.

Já a vocal (Marie Cordier), encarregada pela marcante voz feminina da trilha sonora de Saint Seiya, tem uma boa voz, mas não combina em nada com a voz belíssima da Kazuko Kawashima. Deveriam ter escolhido uma moça que tivesse um timbre mais próximo. Sinceramente as músicas que houve a participação dela não ficaram agradáveis.

Sobre o publico, o silêncio reinou com certa dificuldade até o primeiro ato, mas depois houve gritos de golpes para tudo que foi lado e com frequência. Sinceramente não entendo como alguém paga caro para estar lá e se comporta daquela forma babaca. O silêncio é essencial no concerto para não atrapalhar os músicos e claro ouvir as melodias executadas. Afinal foi para isso que as pessoas estavam lá.

Além da falta de educação de alguns telespectadores, o publico no geral não conhecia as músicas. Batiam palmas antes do tempo. O primeiro trecho da melodia mal acabava e as palmas abafando a parte seguinte.

Pegasus-Symphony_02

Outro ponto que me desagradou bastante foi de não terem incluído um telão, como houve no concerto dedicado a One Piece que também ocorreu no Grand REX em abril de 2014. Havia somente no fundo uma televisão de 40 a 42 polegadas passando somente a logo do concerto, avisos e os nomes das músicas em japonês e francês. Acredito que quem estava atrás não conseguia enxergar.

Uma observação, a organização La Fée Sauvage divulgou um exagero na quantidade de músicos. No site consta que haveria mais de 60 músicos. O que não é verdade. A orquestra tinha 41 músicos, 4 solistas, 1 maestro e 5 convidados.

Pegasus Symphony valeu a experiência! Entretanto o preço do ingresso não valeu o concerto visualmente pobre e a orquestra com domínio duvidoso. Make-Up x Broadway foram os salvadores dessa experiência que poderia ter sido totalmente desagradável. A organização francesa fez um trabalho que deixou muito a desejar.

Anúncios

2 respostas em “[Concerto] Pegasus Symphony

  1. Gostei do concerto, mas pelo valor pago e por outras coisinhas desagradáveis sentadas próximas foi uma experiência muito pior do que eu havia imaginado. É uma pena. Mas ver as músicas de SS tocadas ao vivo, mesmo que não perfeitas, foi uma boa experiência. Principalmente porque a minha música de final do episódio foi tocada.
    PS: O público francês é uma droga, mal educado e… fedorento. Desodorante seria uma ótima invenção naquele país. Eles precisam descobrir essa magia urgentemente!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s