Livro: Os Mistérios de Udolpho – Ann Radcliffe

Nascida em 9 de julho de 1764, no distrito de Holborn, em Londres, Ann Radcliffe é uma das pioneiras do romance gótico. O trabalho da autora britânica teve grande relevância entre a aristocracia e a burguesia da Inglaterra do século XVIII, e posteriormente influenciou o romantismo francês do início do século XIX. Inclusive tornando-se referência de inúmeros escritores, tal como a famosa Jane Austen. Radcliffe faleceu em 7 de fevereiro de 1823, aos 58 anos.

O gênero gótico é um movimento da literatura inglesa que começa em 1764 com O Castelo de Otranto, de Horace Walpole, e continua até cerca de 1830. As principais características da prosa gótica são as personagens melodramáticas, os mistérios, o terror (sendo ou não sobrenatural), os cenários noturnos, as imponentes construções medievais e a natureza intimidante. Ann Radcliffe é considerada um dos principais nomes representantes do estilo, e seu mais popular romance, conceituado sua obra-prima, foi publicado originalmente em 1794. Os Mistérios de Udolpho é uma das pérolas da literatura gótica.

Os Mistérios de Udolpho narra às desventuras de Emily St. Aubert, uma jovem agraciada com qualidades físicas e morais, mas sempre mantendo a alma modesta. Rodeada pelo carinho dos pais, a amorosa heroína cresceu no tranquilo refúgio na propriedade La Vallée, na França. Ela dividia seus dias entre estudar, desenhar, fazer longas caminhadas ou tocar música. No entanto essa vida feliz começa a ser quebrada com o falecimento da mãe. Após o fatídico fato, Monsieur St. Aubert planeja uma viagem com sua filha a sua terra natal, na Gasconha (sudoeste da França). Durante o trajeto, pai e filha encontram Valancourt, um jovem arrojado e entusiasmado de caráter nobre (e um tanto lamurioso). Emily e Valancourt rapidamente se apaixonam. Embora Valancourt não tenha riqueza, St. Aubert vê no rapaz um par desejável para sua preciosa filha. Muita coisa acontece e depois de todas as desgraças possíveis, Emily se vê confiada aos cuidados de sua tia, Madame Cheron, que vai se mostrando uma mulher sem ternura. Sua tutora acaba se casando com um italiano, o senhor Montoni, cuja reputação sombria o precede e só aumenta à medida que seus atos revelam sua natureza violenta e perversa. Montoni arrasta sua esposa e sobrinha para a Itália, especificamente numa fortaleza gótica perdida nos Apeninos, o Castelo de Udolpho. Portas trancadas, o imenso e degradante castelo escondem horrores sombrios e cada canto parece abrigar segredos sórdidos.

Não me surpreende que a quarta obra de Ann Radcliffe seja um clássico. Os Mistérios de Udolpho é uma obra de extrema qualidade, que desperta emoções e tensões variadas da sua narração bastante viva. As características do gótico são marcantes, como a presença dos castelos e das abadias nebulosas, as almas cruéis que não ouvem a voz da razão ou as queixas dos personagens de natureza nobre, elementos misteriosos e aterrorizantes (como vozes de lugar nenhum, luzes noturnas bruxuleantes, véus negros cobrindo pinturas, sombras espectrais e portas trancadas ou rangendo) e, principalmente, o cenário grandioso e caótico.

Quanto às descrições, o romance é recheado delas. Muitas! Inúmeras! Provavelmente deixará aqueles leitores que se cansam rapidamente com tal elemento da narrativa com tédio mortal. Da minha parte, eu achei as descrições magníficas, fiquei realmente maravilhada com o poder de suas palavras desenharem na minha mente os variados cenários. É como se eu estivesse vendo uma pintura sendo trabalhada. Além do que, o leitor tem a oportunidade de viajar entre as encostas íngremes dos Pireneus, atravessar os Alpes, navegar a bordo das gôndolas de Veneza e viajar dolorosamente pelas florestas dos Apeninos em direção ao triste e lúgubre Castelo de Udolph. As descrições neste romance, portanto, participam por seu poder evocativo na atmosfera da trama. É realmente esplendido! (*o*)

Acho impressionante como a autora inglesa lentamente tece sua teia, configura seus personagens e prepara seu enredo. Radcliffe tem talento para transportar seus leitores a entrar na realidade perturbadora de Emily. O que achei interessante é que a história se passa no final do século XVI, mas o principal é que se trata de um resgate de uma época conturbada, quando bandos assolam a Itália e as montanhas do sul da França, onde os homens de armas têm todo o poder e onde as coisas mais assustadoras são possíveis. Cara, eu adorei isso, porque mescla o teor ficcional com referências da realidade.

Apresentando mais de 600 páginas de inúmeras turbulências, se torna impossível o leitor não bolar suas suposições durante a leitura, os ditos “achismos”. Para tal momento, nada melhor que uma boa companhia. A Jedi R. leu em conjunto comigo e ficamos trocando opiniões a respeito de cada vírgula. Ainda bem que não surtei sozinha nesse labirinto escuro, hahaha. Agradeço pela companhia (^_^).

O único ponto negativo, não está no romance, e sim na edição nacional, em específico no decepcionante trabalho de diagramação da Editora Pedrazul. A diagramação é minúscula e espremida. Independente de problemas de visão, os olhos ficam rapidamente cansados (por causa deste motivo demorei em concluir a leitura). Os dois volumes poderiam ter sido lançados como na sua forma original: em quatro tomos (numa box).

Particularmente o clássico de Ann Radcliffe me agradou bastante por sua construção narrativa dramática e melancólica. Mesmo que em alguns momentos senti o ritmo diminuir, as situações acontecem no momento que tem que acontecer, até que tudo se encaixe e as perguntas são finalmente respondidas. Entendi o carinho de Jane Austen por esta obra, do qual homenageia no divertido A Abadia de Northanger. Adianto que no momento que adentrar no sombrio Os Mistérios de Udolpho é preciso ter fôlego para se deliciar neste suntuoso clássico gótico.

.

Título: Os Mistérios de Udolpho
Título original: The Mysteries of Udolpho
Autora: Ann Radcliffe
Tradução: Bianca Costa Sales
Editora: Pedrazul Editora
Páginas: Volume I – 316 / Volume II – 308
Ano: 2015

Presentes de Natal 2020 + Aniversário

Devido ao COVID-19 o Natal de 2020 foi cancelado em inúmeros lares. Afinal, a pandemia não acabou e devemos continuar com os cuidados até a imunização (ou medicação). Há quem gostou e desgostou do cancelamento das festas de fim de ano (>_<). Independente do seu lado, eu espero que você esteja bem e que tenha passado esse período de modo tranquilo.

Convenhamos que entrar no clima das festas de final de ano com tantas mortes (meus sinceros sentimentos aqueles que perderam entes queridos) e o proposital descaso do governo genocida com a população, é realmente difícil se animar diante de tamanha tragédia.

Nosso Natal e Ano Novo foram simples, mas especial por estarmos bem. Quanto aos presentes, à gente nem ia comprar nada, só que não fazia sentido nos privarmos de um momento mundano e descontraído. Já nossas gatas tiveram refeições especiais, comeram sachê gourmet (>_<). Bem, a pretinha logo dispensou o sachê e preferiu a ração. Ela ama essa ração! Enquanto que a tricolor se empanturrou ao ponto de dormir hoooooraaaaas.

Obvio que vim compartilhar meus adoráveis presentes de Natal; incluindo presentes de aniversário que recebi em dezembro. Quem quiser conferir, siga-me os bons! (^o^/)

Do T. (marido): O meu honorável marido me presenteou com três livros altamente desejados da Editora Wish. Ganhei Vida e Aventuras do Papai Noel (L. Frank Baum) (*isso mesmo, o autor de O Mágico de Oz*), Mary Stuart (Alexandre Dumas) e Dez Dias em um Hospício (Nellie Bly); acredito que todos são obras inéditas no Brasil. Estou bastante curiosa para ler e com certeza serão leituras de 2021. E sim, vieram brindes fofos e temáticos, como cartões postais e marcadores. Adorei! (*o*) Muito obrigada, Mozinho! Te amo!

Dos meus pais: Depois de meses sem os ver, fiz uma visitinha rápida (com máscara, tirei os sapatos ao entrar e me limitei a um cômodo) para vê-los e entregar os presentes de aniversários e também os de Natal. Como meu aniversário já tinha passado e era época natalina, eles me deram dinheiro para comprar algum livro e escolhi dois do Stephen King: Sombras da Noite e Duma Key (ambos da Editora Suma). Estou animada! (^_^) Muito obrigada, mamãe e papai!

Da R. e do R.: esse casal de amigos são muito fãs de Star Wars, e eles sabem que o único filme que eu realmente adoro da franquia é o incrível Rogue One. Para a minha surpresa ganhei de Natal a HQ Star Wars: Rogue One Adaptation, escrito por Jody Houser e ilustrado por Emilio Laiso, Paolo Villanelli e Oscar Bazaldua (Editora Panini). E como sempre a R. caprichou na embalagem temática. Adorei! (^_^) Muito obrigada, amigos!

Do V.: meu amigo mandou pelos Correios o meu presente de aniversário. Ganhei As Melhores Histórias da Mitologia Chinesa, de Carmen Seganfredo (Editora L&PM). A escolha foi ótima, pois antes da pandemia começar estávamos conversando sobre mitologia no geral (o V. sabe bastante de Mitologia Nórdica). Nunca li nada da mitologia chinesa, então estou curiosa para conhecer a lenda do Rei Macaco. Livro certeiro! (^_^) Muito obrigada, V. amigo!

No mais, espero que a pandemia acabe logo para eu poder encontrar sem medo com meus pais e meus amigos. Até lá, continuar se cuidando.

Leituras (+ filmes) para o final de ano…

2020 foi um ano mais complicado do que imaginei que seria. Vivenciar uma pandemia em plena crise econômica mundial é bastante complicado, pois lidamos diariamente com o medo de contrair a doença (e o pior acontecer) e com as incertezas. Além do que o cenário hostil de degradação política e sucateamento constante do Brasil em conjunto com as questões do isolamento e dos cuidados redobrados na rotina intensificou o que já está ruim.

Particularmente falando, numa rotina em que a energia física e mental se esvai, as leituras que tanto aprecio foram prejudicadas. Por este motivo que ansiava pelo recesso de final de ano. Neste pequeno recesso vou aproveitar para ler. Os problemas e os cuidados extras infelizmente não vão desaparecer, mas me sinto felizarda por poder me proporcionar esse tempo para descansar.

Os livros que vão me acompanhar serão: O Silmarillion (J. R. R. Tolkien) e Mulherzinhas (Louisa May Alcott). A obra de Tolkien será lida em conjunto com meu honorável marido. Já o clássico de Alcott é um dos romances que estava desejando ler a muito tempo, mas por motivos diversos acabava não pegando a edição portuguesa que tenho na estante. Quando lançou a edição comentada e ilustrada da Editora Zahar, decidi que a leitura seria na edição brasileira, pois eu adoro notas de rodapé. Fiquei aguardando o tal preço bacana até que surgiu a oportunidade.

Quanto aos filmes, dois blu-rays que estavam na minha lista de desejados baixaram de preço. Pois é meu povo, eu sou velha e tenho a mania de comprar a mídia física dos filmes, séries ou animes que entraram para o hall do “adorei, vou rever”, hahaha. Os filmes em questão são de dois anti-heróis da DC: Coringa (2019) e Aves de Rapina: Arlequina e Sua Emancipação Fantabulosa (2020). O primeiro é sem duvida o melhor filme de super-herói feito (indiscutível). Além de Joaquin Phoenix dar um show de atuação, a profundidade da crítica presente na narrativa quanto ao sistema podre em que vivemos e ao valor das pessoas é bastante chocante, mas infelizmente real. Enquanto Aves de Rapina é divertido e foi um dos últimos filmes que assisti no cinema antes de começar a pandemia por aqui (*que saudade de ir ao cinema*). Eu gosto do ritmo de Aves de Rapina, é ágil, têm excelentes cenas de ação, dramas pertinentes quanto à questão da mulher e fiquei contente em não sensualizarem a nível constrangedor a Arlequina (que por sinal, oh figurino estiloso!). E obvio, a Margot Robbie arrasa no papel (e que rizada hilária a dela, hahaha).

Estou animada com meus planos (^_^). Dar um tempo para desacelerar. Estou precisando de tranquilidade. Nem acho que vou conseguir ler tanto, acredito que o sono vai dominar a maior parte do tempo. Mas o meu objetivo não é concluir nenhum livro e sim aproveitar o tempo de leitura, independente de quanto seja.

Por fim, pergunto a você colega leitor, quais seus planos para o final do ano? No mais, tudo de bom e continue se cuidando!