DESAFIO LITERÁRIO DO CLÁSSICXS SEM CLASSE 2020

CLÁSSICXS SEM CLASSE é um podcast literário criado pela Juliana Brina, do blog The Blank Garden. Ouvi recentemente aos episódios disponíveis (todos em português) e achei ótimos. A simpática Juliana é uma moça que adora literatura e tem muito conhecimento e desenvoltura para falar do assunto. É sempre agradável ouvi-la! Quem gosta de literatura, recomendo o sem classe podcast (^_~). Atenção! Para quem não tem condições de ouvir o podcast, estão disponíveis as transcrições de cada episódio.

Como o podcast foi tomando forma com a interação entre a criadora e seus ouvintes, a Juliana decidiu criar um desafio literário chamado Bingo Sem Classe!. O desafio tem como objetivo estimular a leitura de clássicos escritos por mulheres pouco lidas, não traduzidas, excluídas do cânone ou esquecidas, bem como clássicos da literatura queer que se encaixem nas categorias do bingo que foram publicados ou comprovadamente escritos até 1980. Todos os livros devem ser lidos no período de 1º de janeiro a 30 de junho de 2020. As regras de como participar do desafio/sorteio estão disponíveis aqui.

Click na imagem para ampliar.

Mesmo com o tempo limitado e as preocupações desse ano, eu gostaria de participar do desafio, então a melhor opção que encontrei é coparticipar. Em outras palavras, não sei se vou conseguir discutir os meus livros escolhidos no Goodreads (*na verdade ainda estou tentando entender à plataforma, hahaha. Sou lerda pra mídias sociais*), e por motivo de eu não saber inglês, não tem fundamento participar do tentador sorteio para concorrer a um livro da editora Persephone Books (*melhor deixar a chance para outro colega leitor que domina o idioma, não é mesmo?! Tenho certeza que o livro será bem aproveitado*). Entretanto, vou tentar pelo menos compartilhar minhas impressões.

Enfim, dentre as fileiras vertical, horizontal ou diagonal da cartela de bingo, escolhi a terceira fileira horizontal: Clássico da literatura portuguesa, Escritora brasileira esquecida, Clássico adaptado para o cinema e Clássico da literatura fantástica. Minhas escolhas foram:

» Clássico da literatura portuguesa: As Máscaras do Destino, da escritora portuguesa Florbela Espanca (1894 – 1930), foi publicado postumamente em 1931. Minha leitura será realizada na edição da editora Martin Claret.

» Escritora brasileira esquecida: A Intrusa, da escritora carioca Julia Lopes de Almeida (1862 – 1934), foi publicado originalmente em 1908. Minha leitura será realizada na edição da editora Pedrazul.

» Clássico adaptado para o cinema (no caso é uma adaptação para novela): Chama e Cinzas, da escritora carioca Carolina Nabuco (1890 – 1981), foi publicado originalmente em 1947. Minha leitura será realizada na edição da editora Instante.

» Clássico da literatura fantástica: A rainha do Ignoto, da escritora cearense Emília Freitas (1855 – 1908), foi publicado originalmente em 1899. Minha leitura será realizada na edição da editora 106.

Escolhi essa fileira para poder ter mais liberdade de incluir autoras que escreveram originalmente em português, ou seja, no meu idioma nativo. Quis fugir das escritoras do idioma inglês, por exemplo. Dentre as selecionadas, estou bastante ansiosa para ler a conterrânea Emília Freitas.

Em suma, estou animada com minhas escolhas e bastante curiosa para ler e conhecer cada escritora (^_^). E você colega leitor que irá participar, quais foram as suas escolhas para o DESAFIO LITERÁRIO DO CLÁSSICXS SEM CLASSE 2020?

Os melhores de 2019

2019 foi um ano bastante esquisito para mim (O_o). Em retrospecto as várias coisas ruins que aconteceram consumiram minha energia física e mental (por isso as publicações do blog estão espaçadas). Houve também momentos tristes que despedaçaram uma parte de mim. Quanto ao panorama político não é surpresa para ninguém que foi o ano do crescente retrocesso, do entreguísmo e da miséria. Por outro lado, aconteceram alguns momentos felizes e marcantes (^_^). Que ano contraditório (U_U). Colega leitor, o seu 2019 foi igualmente assim? Diante disso, minhas leituras foram prejudicadas (Ç_Ç). Entretanto, mesmo sendo um ano turbulento, houve ótimas leituras e releituras. Enfim, destaquei as narrativas que marcaram o ano do porco. Quem quiser conferir minha lista, sigam-me os bons! (^o^/)

» As Alegrias da Maternidade – Buchi Emecheta ~ O romance da nigeriana Buchi Emecheta estava sendo bastante comentado no meio literário; depois de ler, entendo a empolgação dos colegas leitores. Além de ter uma escrita deliciosamente prazerosa, As Alegrias da Maternidade é uma obra intensa e crítica em vários sentidos. Impressões sobre este livro aqui.

» Battle Angel Alita – Kishiro Yukito ~ Eu comecei a ler Gunnm pela edição incompleta da Editora Opera Graphica em 2002, depois assisti ao OVA e finalmente concluí a leitura quando a editora JBC publicou os meio-tankōbon no ano seguinte. Reler Battle Angel Alita nesta nova edição foi resgatar um momento marcante da minha vida de leitora, quando eu estava descobrindo a ficção científica (*Eu adoro a Gally / Alita!*). Impressões em breve.

» Frankenstein (+ Conto: O Imortal Mortal) – Mary Shelley ~ Um dos meus livros do coração é Frankenstein (*_*). Reler o clássico de Mary Shelley só me fez amar ainda mais essa sofisticada e impactante narrativa. Como minha releitura foi realizada pela edição da editora DarkSide Books, conheci alguns contos da escritora britânica. Dentre os contos disponíveis, eu adorei o taciturno O Imortal Mortal, que se tornou um dos contos preferidos da vida. Impressões sobre este livro aqui.

» Kawabata-Mishima Correspondência 1945-1970 ~ Para aqueles que apreciam a literatura nipônica ou grandes nomes da literatura do século XX, é recomendado realizar a leitura de Kawabata-Mishima Correspondência 1945-1970. O livro expõe de modo sutil a intimidade e os pensamentos de ambos os autores, da neve e do sangue, que além de ser mestre e discípulo, também eram amigos. Impressões sobre este livro aqui.

» Maddaddão – Margaret Atwood ~ Pelo quinto ano consecutivo Margaret Atwood entra na minha lista de melhores leituras do ano. Ô mulher pra escrever bem! A conclusão de Maddaddão foi simplesmente sensacional, mas igualmente melancólica e esperançosa. Pois é, uma mistura de sensações. A trilogia especulativa MaddAddam merece ser lida pela conjectura do nosso futuro apocalíptico. Impressões em breve.

» Querida konbini – Sayaka Murata ~ Estava bastante curiosa com o romance de Sayaka Murata, já que no título estampa o estabelecimento mais maravilhoso do Japão: konbini (loja de conveniência, em japonês). Querida konbini foi um romance que me surpreendeu bastante, pois mesmo com sua tímida crítica social, é uma obra que aponta os erros da sociedade moderna japonesa. Impressões sobre este livro aqui.

» O Som da Montanha – Yasunari Kawabata ~ O protagonista Shingo Ogata carrega em suas costas o doloroso peso dos anos com a consolidação da modernização do Japão e dos dois filhos decepcionantes. Em tom onírico, durante todo o romance sua situação é transcendida por sua visão da natureza e por seu apego à jovem nora. A beleza da natureza dá um sabor poético aos eventos da família Ogata. Outra ótima obra de Kawabata! Impressões em breve.

» Uzumaki – Junji Ito ~ Outra releitura entra na lista de melhores leituras deste ano. Uzumaki se destaca como um dos pináculos da criação de Junji Ito. Sua clássica obra-prima é simplesmente incrível e fácil de agradar os leitores que curtem narrativas esquisitas e até aqueles que não estão acostumados com o singular horror japonês. Impressões sobre este mangá aqui.

» your name. – Makoto Shinkai ~ Eu tinha assistido a animação Kimi no Na wa. acredito que há uns três anos. Até tinha simpatizado com a película, mas não fiquei apaixonada com o estrondoso sucesso de Makoto Shinkai. Mesmo assim decidi adquirir o romance. Lendo, a narrativa me envolveu de uma forma muito prazerosa. Engraçado isso, né?! Como o romance de your name. chegou no momento certo e me envolveu, pretendo rever a animação e adquirir o mangá. Impressões em breve.

E vocês, quais foram as suas melhores leituras de 2019?

Tchau 1964 2019! o/ Feliz 1965 2020! \o/

Presentes de Natal 2019

Quem acompanha o perfil do blog no instagram sabe que passei as festas de final de ano no Japão (*-*). Esta viagem foi um presente de aniversário surpresa que ganhei do meu honorável marido (Te amo!). Como eu sempre tive o desejo de passar o Natal e o Ano Novo na Terra do Sol Nascente, meu morzinho concretizou tal capricho (^_^).

Na véspera de Natal visitamos uma pequena feira natalina ao estilo ocidental na região de Roppongi (há outras feiras do mesmo estilo em vários pontos da capital). Escolhi dar uma passadinha na tal feira, porque haveria o gratuito mini concerto de músicas natalinas com a cantora Mai Fujisawa, filha de Joe Hisaishi (famoso compositor das trilhas sonoras do Studio Ghibli). Quando criança Mai foi à voz da música 「レクイエム」 [Rekuiemu], da animação Nausicaä do Vale do Vento. Também cantou 「ひまわりの家の輪舞曲」 [Himawari no Ie no Rondo], da animação Ponyo no concerto dedicado as composições de Hisaishi ao Ghibli. Enfim, a apresentação natalina foi caprichada e linda! (*_*) Depois, caminhamos empacotadinhos até a Torre de Tokyo e finalizamos nossa véspera de Natal comendo pizza ao estilo japonês sabor teriyaki, hahaha.

No entanto, antes e durante a viagem me auto presentei com… Isso mesmo, livros (^_^v). Quem quiser conferir, sigam-me os bons!

» Box Filhos da Floresta: embalado por uma bonita ecobag (que já estou usando), adquiri o Kit de Natal da Editora Wish com a box Filhos da Floresta, que reuni os clássicos Bambi (Felix Salten) e Pocahontas (Virgina Watson). Das duas obras ambientadas na densa mata, estou bastante curiosa para ler a narrativa da jovem índia.

» CLAMP Art-book North Side e South Side: eu sempre via essa dupla de artbooks sobre o maravilhoso grupo de mangakás CLAMP por preços nada convidativos. Perambulando em Osaka, esbarrei numa loja de livros usados que tinha disponíveis os dois artbooks por ótimos preços e em excelente estado de conservação. Fiquei tão contente! (^_^) As ilustrações presentes em North Side e South Side são tão lindas (*o*).

Feliz Natal! メリークリスマス (Merry Christmas)! (・ε ・)ノ